A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
23 de Julho de 2017
Anuncie Aqui
8463
Geral

Aquidauanense ganha asteroide em sua homenagem

Estudante do IFMS Luiz Fernando da Silva Borges foi homenageado por uma das maiores entidades de pesquisa do mundo, com um “mini-planeta”

29 JUN 2017 - 11h20min
Redação

“Hoje o céu fica um asteroide mais brasileiro. Não venha me dizer que o céu é o limite quando um aquidauanense nomeia um asteroide!”, exclamou o estudante do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Luiz Fernando da Silva Borges, depois de receber a notícia de que foi homenageado com pelo MIT – Massachusets Institute of Technology, uma das mais importantes entidades de pesquisa do mundo. O mini-planeta “33505 Dasilvaborges” está em órbita e eterniza o nome do brasileiro no espaço. 

Luiz Fernando entra para uma seleta lista de personalidades do mundo das artes e das ciências que têm o privilégio de ter um asteroide para chamar de seu, como é o caso dos cientistas Albert Einstein, Stephen Hawking e Isaac Newton. O líder da banda inglesa Quenn, Freddy Mercury, o mestre da música clássica Beethoven e até a rainha egípcia Kleopatra foram homenageados da mesma forma.

Na correspondência do MIT, compartilhada pelo jovem cientista aquidauanense, a entidade explica que a honraria está sendo concedida em virtude de sua premiação na Intel ISEF (International Science and Engineering Fair), em 2016. Luiz Fernando ficou em primeiro lugar na maior feira de ciências e engenharia dedicada a estudantes do mundo. 

Este ano, Luiz Fernando ficou em segundo lugar em sua categoria com o projeto “Hermes Braindeck: uma interface cérebro-computador para comunicação com pacientes inicialmente classificados como comatosos ou vegetativos”. Na Intel ISEF 2017, realizada em Los Angeles, nos Estados Unidos, o aquidauanense também foi premiado pela Associação para o Avanço da Inteligência Artificial.

O jovem cientista trabalha para lançar no mercado um equipamento que permita a comunicação com pacientes que estejam em estado coma ou vegetativo, permitindo que os sinais cerebrais sejam traduzidos em soletração. Isto vai permitir que os pacientes digam aos médicos e familiares como se sentem em relação ao tratamento, por exemplo.  A pesquisa envolve diversas áreas, como biomedicina, neurologia, o desenvolvimento de softwares, realidade virtual e engenharia.

Arquivo Pessoal

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Menino foi morto por asfixia ao reagir a estupro, diz polícia

2
Policial

Acidente de trânsito mata idoso em Miranda

3
Policial

Caçador é preso com rifles e animais abatidos na região do Pantanal

4
Anastácio

Homem é preso com revólver e negociando munições pelo celular

Vídeos

PRF põe fim a sequestro, vítima estava em poder de menores

Equipe aquidauanense se prepara para o Rally dos Sertões

Sepultamento de Sophia Rondon

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,74m
Miranda
2,35m
Paraguai
4,62m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

A...

Raquel Anderson

Autômatos (in) finitos

Rosildo Barcellos

Heróis Brasileiros

Ver Mais Colunas
481710650