A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
18 de Agosto de 2017
Anuncie Aqui
8463
Aquidauana

Mudança na lei vai beneficiar moradores com imóveis irregulares

Juiz da 2ª Vara da Comarca de Aquidauana Juliano Duailibi explica alterações no processo para regularização imobiliária com a usucapião extrajudicial

27 JUL 2017 - 15h28min
Redação

Registrar imóveis por meio do instituto da usucapião extrajudicial ficou mais fácil em todo o Brasil. Isso porque foi sancionada a Lei Federal nº 13.465, que retirou a obrigatoriedade da anuência do proprietário e processo pode ser realizado por meio de cartórios extrajudiciais. O juiz da 2ª Vara da Comarca de Aquidauana Juliano Duailibi reuniu advogados e representantes de cartórios do município para falar das mudanças que vão reduzir o tempo dos processos de regularização imobiliária de três anos para até quatro meses.

Na prática, a iniciativa vai valorizar o imóvel de muitos cidadãos, uma vez que vai resgatar propriedades que atualmente se encontram fora do mercado imobiliário e alimentam uma perigosa prática de transações informais. Para se ter uma ideia, segundo o Ministério das Cidades, o Brasil possui mais de 50% dos seus imóveis urbanos com alguma irregularidade fundiária.

Em Aquidauana, a situação não é diferente e a cidade conta com bairros em que os imóveis estão em situação irregular, como é o caso do Nova Aquidauana. “Um imóvel regularizado representa o fortalecimento da economia, já que o cidadão passa a ter direito a usá-lo como garantia de empréstimos, financiamentos”, exemplifica Duailibi. Esta mesma situação se repete no Arara Azul, citado pelo prefeito de Aquidauana, Odilon Ribeiro, em entrevista coletiva durante a posse de aprovados em concurso público, no início do mês. Os moradores vão receber a posse dos imóveis, como parte da programação do aniversário da cidade. 

Usucapião de imóvel é um modo originário de aquisição da propriedade que se dá pela posse prolongada do bem, de acordo com os requisitos legais. O primeiro passo para quem pretende usucapir um imóvel pela via administrativa é ir ao cartório de notas para fazer uma ata notarial, na qual deverá constar a declaração do tempo de posse do interessado e da inexistência de ação possessória ou reivindicatória envolvendo o imóvel usucapiendo. 

Posteriormente, o interessado, representado por advogado, deverá apresentar a ata notarial e os demais documentos necessários ao Registro de Imóveis. O procedimento de reconhecimento extrajudicial da usucapião envolve a análise da documentação apresentada, a publicação de edital, a manifestação dos confrontantes e do Poder Público. O juiz da 2ª Vara da Comarca de Aquidauana lembra que os moradores de Aquidauana podem recorrer a Defensoria Pública, que funciona no período matutino, localizada na rua Assis Ribeiro, esquina com a rua 15 de Agosto. 

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Disputa de mulheres por Biz termina com moto apreendida pela polícia

2
Aquidauana

Casa do Trabalhador de Aquidauana oferece seis vagas de emprego

3
Gente

Morre o humorista Paulo Silvino, aos 78 anos, no Rio

4
Aquidauana

Mulher de 42 anos é atropelada por motocicleta no Ovídio Costa 1

Vídeos

Indígenas fecham BR-262, acesso a Taunay

3º Desafio Mountain Bike - Piraputanga MS

18 Festival de Inverno de Bonito

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
3,30m
Miranda
2,12m
Paraguai
4,24m

Colunas e Blogs

Pedro Puttini Mendes

Imposto Territorial Rural de 2017: muda o ano, os probl...

Valdemir Gomes

Tamanduá...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

Aquidauana...quais caminhos percorrerá?

Ver Mais Colunas
481710642