A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
11 de Dezembro de 2017
Anuncie Aqui
8492
Crime Ambiental

Pecuarista de Aquidauana é multado em R$ 1,5 milhão após fogo destruir reserva no Pantanal

Fazendeiro é responsável por incêndio iniciado a partir de uma carvoaria existente na propriedade, que adentrou uma área de pastagem

28 SET 2017 - 14h00min
DValentim

Policiais Militares Ambientais multaram um fazendeiro, de 63 anos, de Aquidauana, em R$ 1,5 milhão depois de um incêndio sem controle destruir 1,5 mil hectares de reserva legal e agropastoril em uma propriedade localizada na região do Paiaguás no Pantanal. A autuação ocorreu nesta quarta-feira (27).

O incêndio teria se iniciado a partir de uma carvoaria, com 90 fornos, existente na propriedade e adentrou uma área de pastagem. Em seguida, o fogo atingiu as matas de reserva legal da fazenda, que se trata de área protegida por lei.

A área medida em GPS totalizou 1,5 mil hectares. A PMA efetuou um auto de infração administrativo e aplicou multa de R$ 1,5 milhão. O pecuarista também responderá por crime ambiental e, se condenado, poderá pegar pena de dois a quatro anos de reclusão. Caso se comprove que a incêndio foi culposo (sem intenção), a pena é de seis meses a um ano de detenção.

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Jovem é esfaqueado nas costas no Parque de Exposições

2
Aquidauana

Grupo bebe engradado de cerveja em lanchonete do Bairro Alto e foge sem pagar

3
Aquidauana

Idoso paga R$ 10 por programa e acusa mulher de furto no Guanandy

4
Policial

Tenentes da Marinha são presos levando armas e mais de 1000 munições para RJ

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
5,67m
Miranda
7,36m
Paraguai
1,86m

Colunas e Blogs

Giovani José da Silva

HISTÓRIAS DE ADMIRAR: HISTÓRIAS FEITAS DE GENTES E D...

Valdemir Gomes

Re...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

Estudo de caso

Ver Mais Colunas
498110542