A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
26 de Março de 2017
Anuncie Aqui
8214
Aquidauana

Vídeo mostra momento da confusão no Estádio Municipal

Mãe e filha reclamam de agressão dos PMs. Unidade rebate versão da dupla.

10 ABR 2012 - 16h35min
redação / Aníbal Placêncio
Domingo típico de futebol, tarde de sol e calor, e muitos torcedores foram apoiar o Aquidauanense na vitória por 2 a 0 sobre o Maracaju, que coroou a excelente campanha na primeira fase Campeonato Sul-Mato-Grossense. A equipe da Princesa do Sul ficou na liderança isolada do grupo A.
 
Porém, o grande triunfo do Azulão acabou dividindo espaço com uma briga entre torcedores, ocasionada por motivos alheios ao que acontecia dentro das quatro linhas. Na confusão, a polícia prendeu o jovem Julianderson de Almeida Martins (22 anos) e a professora Maria de Lurdes Brito (41).
 
A adolescente Ingryd Brito (14), que faz parte das "Azuletes" e é filha da professora, afirma que tudo começou após ela discutir com outra moça. "Eu briguei com ela, sofri uma agressão e fui falar com os policiais que estavam perto do alambrado, só que eles me orientaram a procurar a Rotai. Depois, fui informada de que eles não poderiam resolver minha situação, porque as marcas da lesão não eram visíveis", conta Ingryd.
 
O tumulto aumentou no momento em que Julianderson - pivô da briga entre as duas jovens - acabou detido. A professora Maria de Lurdes afirma que, ao tentar conversar com os PMs, sofreu diversas agressões (o site O Pantaneiro teve acesso ao vídeo que mostra o momento da confusão).
 
"Nós viajamos por todas as cidades com as 'Azuletes', e aqui é o único lugar em que a PM nos trata dessa maneira", reclama a professora, que diz ter sofrido lesões no pescoço e na orelha, além de ter perdido um celular e uma corrente.
 
Engana-se, porém, quem pensa que a confusão entre envolvidos e PMs terminou no Estádio Municipal. Segundo Maria de Lurdes, no momento em que ela e a filha eram atendidas no Pronto Socorro, um dos policiais passou a ameaçá-las. "Ele discutiu conosco, fez ameaças e segurou com força o braço da Ingryd", diz a professora, ao apontar para uma marca roxa no braço da filha.
 
Outro lado
 
Em nota, o 7º BPM de Aquidauana sustenta versão diferente daquela apontada por Maria de Lurdes e Ingryd. Segundo a Unidade, a professora não se conformou com a prisão de Julianderson e agrediu os policiais. Um dos PMs, inclusive, ficou ferido.
 
De acordo com o 7º BPM, os policiais foram, de fato, até o Pronto Socorro, já que os envolvidos ainda teriam que prestar esclarecimentos na Delegacia de Polícia Civil.

"Durante o atendimento de socorro, a mulher (Maria de Lurdes) desacatava os PMs com xingamentos e palavras de baixo calão, ameaçando-os ao dizer ser influente na política e na cidade de Aquidauana. Os bombeiros testemunharam tudo o que a autora dizia aos policiais militares", informa a nota policial.

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Ribeirinho relata que quase salvou menina Laura

2
Geral

Tragédia do Aquidauana: Oito dias sem Laura

3
Policial

Agente penitenciário usa Whats App para denegrir imagem de colega

4
Policial

Pistoleiro esquartejado era informante e protegido da polícia

Vídeos

Criança ainda está desaparecida nas águas do Aquidauana

Incêndio em residência em Anastácio

Lançamento de Obras em Aquidauana

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
3,46m
Miranda
2,38m
Paraguai
2,30m
Rio Cuiabá
3,72m
Rio Taquari
4,10m

Colunas e Blogs

Manoel Afonso

PMDB-PSDB, mais afinidades do que diferenças

Raquel Anderson

Embalando o presente

Rosildo Barcellos

Cromossomos Felizes

Ver Mais Colunas
472810425