O Pantaneiro

terça, 25 de junho de 2013

Manhãs com versos, estrofes, cantorias e declamações

E assim foi no dia 12 de junho, com Juvenal dos Santos, poeta e cordelista no Curso Processos de Trabalho do Recepcionista (SENAC) que nos brindou com as suas obras de cordel e com seus repentes, variando seus temas e situações: alegrias amorosas, paixões encantadoras e avassaladoras, homens valentes e mundos encantados.
 
E este mundo encantado apresenta uma linguagem, fantasiando cada uma das palavras emolduradas pelo seu contexto seja ele histórico ou não. Eis um exemplo:
 
Bicho desequilibrado
Repleto de fantasia.
Cada dia que passava
A sua fama crescia
Ali,jumentas e éguas
Aos partos não davam tréguas:
Pariam a cada dia.
 
Se, por acaso, o animal
Também pagasse pensão.
Perdia a excitação
Ou dosaria a libido
Pra não ficar conhecido
Como o terror do sertão.
 
Assim como outros do cordel, os fatos vão acontecendo, o leitor vai tomando conhecimento, para logo em seguida entender o significado, independendo da região ou local ou que se encontra, tamanha é  a musicalidade de cada verso e a perfeição de cada rima.
 
As histórias do cordel fazem em cada um de nós através de cada linha poética reverenciar cada momento de uma leitura.
 
 
Maria de Lourdes Medeiros Bruno
Compartilhe: Orkut

Sobre o colunista

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

Leia mais
Parceiros AT Informática Lise Jones - Cerimonial Coeso Eletrificação Rural Vivid Estudio Fotográfico YouZoom Soluções Web