A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
19 de Outubro de 2017
Anuncie Aqui
8502
Dr. Vitor Maksoud

É Preciso Saber (Medicina VI)

Amebíase Descrição: Infecção causada por um protozoário que se apresenta em duas formas: cisto e trofozoíto. Esse parasita pode atuar como comensal ou provocar invasão de tecidos, originando as formas intestinal e extra-intestinal da doença. O...

dothCom Consultoria Digital
6 JUN 2011 - 00h00min

Amebíase

Descrição: Infecção causada por um protozoário que se apresenta em duas formas: cisto e trofozoíto.

Esse parasita pode atuar como comensal ou provocar invasão de tecidos, originando as formas intestinal e extra-intestinal da doença.

O quadro clinico varia de uma diarréia aguda e fulminante, de caráter sanguinolento ou mucóide, acompanhada de febre e calafrios, até uma branda, caracterizada por desconforto abdominal leve ou moderado, com sangue ou muco nas dejeções. Pode ou não ocorrer período de remissão. Em casos graves, as formas trofozoíticas se disseminam através da corrente sangüínea, provocando abcesso no fígado (com maior freqüência), nos pulmões ou no cérebro. Quando não diagnosticado a tempo, podem levar o paciente ao óbito.

Agente etiológico: Entamoeba Hystolytica

Reservatório: O homem

Modo de Transmissão: Ingestão de alimentos ou água contaminados por dejetos, contendo cisto amebianos. Ocorre mais raramente na transmissão sexual devido a contato oral-anal.

Período de incubação: Entre 2 a 4 semanas, podendo variar dias, meses ou anos.

Período de transmissibilidade: Quando não tratada,pode durar anos.

Complicação: Granulomas amebianos (amebomas) na parede do intestino grosso, abcesso hepático, pulmonar ou cerebral, empiema, pericardite, colite fulminante com perfuração.

Diagnostico:Presença de trofozoitos ou cisto do parasito encontrados nas fezes; em aspirados ou raspados, obtidos através de endoscopia ou proctoscopia; aspirados de abcessos ou cortes de tecido.A ultrassonografia e tomografia axial computadorizada são úteis no diagnostico de abcessos amebianos.

Tratamento: 1º opção a Formas intestinais: Secnidazol-Adultos-2g, em dose única Criança: 30mg/kg/dia,VO, não ultrapassando máximo de 2g/dia. Deve ser evitado no 1º trimestre de gravidez e durante a amamentação. 2º opção Metronidazol, 500mg, 3 vezes/dia, durante 5 dias, para adultos. Pra criança: 35 mg/kg/dia, divididas em 3 tomadas, durante 5 dias b) Formas graves: (Amebíase intestinal sintomática ou Amebíase extra-intestinal). Metronidazol, 750mg, VO, e vezes ao dia durante 10 dias.

Em criança, recomenda-se 50mg/kg/dia durante 10 dias. 3° opção Tinidazol, 2g. VO, para adultos, após uma das refeições, durante 2 dias, para formas intestinais.c) Formas extra-intestinais: 50mg/kg/dia, durante 2 ou 3 dias, a depender da forma clínica. 4°opção: somente para formas leves ou assintomáticas: Teclozam, 1.500mg/dia, divididas em 3 tomadas 15mg/kg/dia, durante 5 dias. No tratamento do abcesso hepático, além da medicação, pode ser necessário, em alguns casos, aspiração do abcesso, alem da medicação especifica. Drenagem cirúrgica aberta não é recomendada exceto em casos graves, quando o abcesso é inacessível à aspiração e não responde ao tratamento em até 4 dias.

Características epidemiológicas: Estima-se que mais de 10% da população mundial esta infectada por E. díspar e E. histolytica, que são espécies morfologicamente idênticas.


Vigilância Epidemiológica


Objetivo: Medidas específicas de vigilância epidemiológica não são adotadas.

Notificação: Não é uma doença de notificação compulsória.

Medidas de controle: a) Gerais : impedir a contaminação fecal da água e alimentos através de alimentos básicos. b) Específico: lavar as mãos após uso do sanitário, lavagem cuidadosa dos vegetais com água potável e deixá-los em imersão em ácido acético ou vinagre, durante 15 minutos para eliminar os cistos.

Evitar pratica sexuais que favoreçam o contato fecal-oral. c) Isolamento: Pessoas infectadas devem ser afastadas de atividades de manipulação dos alimentos. d) Desinfecção: Concorrente, com eliminação sanitária das fezes.

VITOR MAKSOUD
MÉDICO
CRM/MS-61

Referência: Doenças Infecciosas e Parasitárias

Veja também

Mais Lidas

1
Turismo

Vídeo: sucuri surpreende turista durante passeio em balneário de MS

2
Aquidauana

Moto bate na traseira de Saveiro e deixa dois rapazes de 19 anos feridos

3
Policial

Dupla mata anta a tiros e acaba presa e multada em R$ 10 mil

4
Aquidauana

O Pantaneiro errou em reportagem sobre retirada de ambulantes

Vídeos

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Fiações rompidas são recuperadas e motoristas ‘fora do padrão’ podem ser responsabilizados

Moradores de Anastácio flagram óleo descendo para Rio Aquidauana

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,87m
Miranda
2,28m
Paraguai
2,41m

Colunas e Blogs

Raquel Anderson

Oswaldão e o horário de Verão!

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

Viajar só faz bem...

Pedro Puttini Mendes

Aquidauana: "meio" ambiente ou um ambiente inteiro?

Ver Mais Colunas
498110634