A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
24 de agosto de 2019
Anuncie Aqui
8830-->
Maria de Lourdes Medeiros Bruno

“Não importa a distância que nos separa, se há um céu que nos une”

Rhobson
12 AGO 2019 - 07h46min

Eis uma história de irmãs separadas...envolvidas também em outras histórias, com outros irmãos e irmãs, mas o momento é o das três irmãs: Tamires, Neuza e Jane (hoje, morando em João Pessoa).

Separadas foram...por atos, fatos e situações do não encantamento familiar e as dores maternas das perdas, ressurgiram na mãe, a bela mulher que não foi a personagem dos contos de fadas, mas continuou bela e envolvida no sofrimento da mãe solitária, mas forte diante da inexorabilidade de um  destino  com a ausência dos bens materiais, mas a beleza   feminina superou  uma palavra cruel que atende pelo nome de preconceito. Mulheres, assim vividas e cercadas de ausências são voluntariosas e destemidas. Não suportam a palavra medo. Vivem.

E, no tempo da vida, surgiu  um homem que a acolheu...mas esse mesmo tempo também a separou deste mesmo homem. E assim, ele, se afastou e levou a filha de nome Jane ( hoje com uma família muito bonita)...por momentos circunstanciais a deixou  doente e frágil em um hospital sem perspectivas , mas a força feminina foi maior que a dor da separação. E esse mesmo,   ser  indefeso sobreviveu. Superou a dor. A febre e a involuntária solidão materna.

E o tempo, esse “tecido invisível”, bordou tudo que podia bordar...conduziu e costurou ao seu prazer e gosto. O tecido era seu e único...E ao  bordar deixou transparecer a coragem da bela mulher, a mãe, de uma têmpera que só a natureza soube trabalhar e ao trabalhar mostrou a genética, nestas 3 jovens Tamires, Neuza e Jane que, embora distantes, com profissões e   pais diferentes queriam se ver, se conhecer e se encontrar num espaço pantaneiro único tendo a principal testemunha o semblante  materno abençoando, porque já fez o famoso e inesperado ritual de passagem em 2012, mas mesmo assim a presença espiritual é inexplicável...   

E a mãe de muitos filhos, teve ao seu lado Neuza,  a filha anjo da guarda, o que esteve sempre ao lado dos pais! E  mesmo fragilizada soube acompanhá-los, protegida pela caçulinha Tamires, (hoje com 31 anos), engenheira agrônoma, trabalhando em São Gabriel do Oeste e vindo do Paraná para estar ao lado desta irmã amada ,  dando-lhe mais segurança e força.

Mas o destino, sempre foi onipotente e brincalhão e fez da existência desta bela e jovem mulher amada, sofrida e com muitos filhos um carrossel de relacionamentos que não girava mecanicamente e sim pela força do amor e da sobrevivência!  

E neste carrossel, a existência desta mãe, de nome Cesília, começou em Barretos, anos 50, datas do coração, pois nasceu lá. Foi  trabalhar numa fazenda em Guiratinga (MT), a imensidão do pantanal atravessa as fronteiras geográficas e existenciais. E no tempo vivido a dor e a tristeza faziam parte também deste giro, já  com  filhos...mas ao sair da fazenda onde o destino já a forçava ao abandono, não levou todos...alguns ficaram para trás...eis a imposição da carência e da fragilidade feminina, pois casou-se aos catorze anos....E aí surgiu a mãe nova e desprotegida, em tempos  já transportados pelo carrossel do mundo ...

E neste brinquedo das existências a  bela  mulher jovem chegou em Coxim, após  maltratos  e abusos,

conheceu o que pode ser chamado “o grande amor da  vida de um homem”, já pelos idos de 1977.

 E assim, neste passado tão próprio que Cesília conheceu Adélio, funcionário público e solteiro que apaixonou-se pela jovem e bela mulher da pele morena da cor pantaneira, com filhos de outros relacionamentos, casando-se com ela e registrando os que não eram seus. Seus, do novo relacionamento, apenas 2: Dênis e Tamires. E com ele ficou...

O famoso e conhecido amor incondicional, apresentou-se levando a 35 anos de relacionamento, com  perdas e ganhos, mas permaneceu com ele. Viveu e ao acrescentar o verbo viver, imagina-se tudo. Completamente tudo! E já, no seu leito de morte, Adélio confessou que Cesília foi o grande amor da sua vida, porque desafiou a família sendo a bela jovem empregada doméstica na sua casa, que no giro do carrossel passou a ser a esposa e o amor  da sua vida!

Assim se vive uma poesia fazendo uso das palavras;

“Tudo nela é bonito/Tudo nela é verdade/E com ela acredito na felicidade” (Roberto Carlos)

Mas, existem as datas fatais diante do tempo “que é a vida de morte”...em 1998, a perda de uma filha, adotada por uma outra família; 2002 ...2004...2009...sucessivas e dolorosas perdas agravaram o estado de saúde desta bela mulher forte que enfrentou separações, encantos e desencantos. Filhos próximos e distantes por força de uma fragilidade imposta pela própria vida com muitas carências, mas com uma garra das mulheres que sabem guerrear sem perder a dignidade e o amor próprio! E em 2012 veio a falecer, mostrando que ao fazer o seu ritual de passagem realizou a missão dura e persistente da mãe que mesmo sofrendo as maiores carências e  separações  soube como provar  aos seus o verdadeiro e bravo ato de viver!      

E o exemplo do verdadeiro e bravo ato de viver materno e paterno, se revelou na constante busca de cada irmão e irmã e se concretizou através da tecnologia e da famosa e conhecida frase: “Em busca do tempo perdido”, porque “Não importa ao tempo o minuto que passa, mas o minuto que vem”, e a possibilidade já iniciada do encontro da Jane, com a irmã Tamires (iniciado virtualmente em 2017),  agora com o grande momento chegando  não só de  abraços, confidências e corações  e com mais  irmãos tornou-se o sentido de vidas, até então separadas! 

É o famoso “Encontro Marcado”, não das crônicas e dos contos, mas da vida, do tempo de duas almas com múltiplas e variadas histórias de amor e separações e superações, tristezas, mas também de muitas alegrias!

E diante dos momentos, muitas emoções, com as mágicas palavras: “Eu tenho tanto para lhe falar como é grande o meu amor por você” (Roberto Carlos)

MARIA DE LOURDES MEDEIROS BRUNO

Bibliografia:

DRUMMOND, Andrade de. https://www.pensador

LEMOS, Carlos, Dirce Riedel, Ivo Barbiéri,Therezinha Castro.Literatura Brasileira em Curso.Que Fazer do Relógio. 2ª   edição.Bloch Editora.1968.

Foto: Tamires

 

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Homem de 35 anos é assassinado com quatro tiros ao lado de moto nos Altos de Anastácio

2
Geral

Filho de vereador morre após acidente de moto em MS

3
Anastácio

Estuprador do Jardim Carioca, da Capital, é preso em Anastácio; tio quem denunciou sobrinho

4
Policial

Maníaco da Capital matou esfaqueado jovem de 18 anos por ciúmes em Anastácio

Vídeos

Wild Camp reúne apaixonados por Kombi neste fim de semana em Camisão

Wild Camp reúne apaixonados por Kombi neste fim de semana em Camisão

Gaeco apreende 26 armas, munições e documentos que já estão na Delegacia de Aquidauana

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min19 max35

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min19 max35

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,24m
Miranda
2,07m
Paraguai
3,52m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Cadê...

Raquel Anderson

Aquidauana

Fausto Matogrosso

ATÉ QUANDO?

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Associações e Sindicatos

AABB - Associação Atlética Banco do Brasil

Rua João Dias Feitosa, 1661 Bairro da Serraria - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 3051/99911
Advocacia

Sortica e Santos Advogados Associados S/C

Rua Augusto Mascarenhas, 506 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) - 3241-3122 / 3
Médicos

Nelson Andrade Quelho - Cardiologista

Rua Pandiá Calógeras, 242 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-3000
Ver Mais
508110692