A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
18 de Outubro de 2017
Anuncie Aqui
8502
Diversos

O Fim da Picada

É no verão que a dengue faz um número maior de vítimas, pois o mosquito transmissor encontra excelentes condições de reprodução.

dothCom Consultoria Digital
24 JAN 2013 - 00h00min
*Por Rosildo Barcellos
 
É no verão que a dengue faz um número maior de vítimas, pois o mosquito transmissor encontra excelentes condições de reprodução. As temperaturas altas e o alto índice pluviométrico aumentam e melhoram o habitat ideal para a reprodução do Aedes Aegypti: a água parada. Lata, pneus velhos, vasos de plantas, caixas d?água e outros locais deste tipo são usados pela fêmea para depositar seus ovos.
 
Outro fator que torna os grandes centros urbanos locais preferidos deste tipo de inseto é a grande quantidade de seu principal alimento: o sangue humano. A questão é preocupante porque as notificações de dengue em Campo Grande, por exemplo, passaram de 856 (em 2005) para 5.550 (2006) e hoje chegam a 9300(2013) ? quantidade esta só superada durante a epidemia da enfermidade em 2002, quando foram detectados 12,9 mil registros. O Labcen (Laboratório Central de Campo Grande). Está realizando quase 2.200 exames diariamente.
 
A origem do Aedes aegypti, inseto transmissor da doença ao homem, é africana. Na verdade, quero enfatizar que quem contamina é fêmea, ela é rajadinha de branco; o macho apenas se alimenta de seivas de plantas. A fêmea precisa de uma substância do sangue (a albumina) para completar o processo de amadurecimento de seus ovos. O mosquito apenas transmite a doença, mas não sofre seus efeitos.
 
De origem espanhola, a palavra Dengue significa "melindre", "manha", estado em que se encontra a pessoa contaminada pelo arbovírus (abreviatura do inglês de arthropod-bornvirus, vírus oriundo dos artrópodes), no caso, encontrado na fêmea do mosquito Aedes aegypti ou na do Aedes albopictus. Os primeiros registros de Dengue no mundo foram feitos no fim do século XVIII, no Sudoeste Asiático, em Java, e nos Estados Unidos, na Filadélfia. De lá espalhou-se, principalmente através do tráfego marítimo. No Brasil, chegou na metade do século XIX com as embarcações que transportavam escravos, já que os ovos do mosquito podem resistir, sem estar em contato com a água, por até um ano.
 
Dentre os cuidados que podem ser adotados para evitar a reprodução do mosquito Aedes aegypti, o uso de produtos caseiros, como o sal, é um dos mais recomendados, por ser um método de combate eficaz e de baixo custo. Adicionado na dosagem certa, o sal torna a água imprópria para a reprodução do mosquito, através de sua ação larvicida, que evita o desenvolvimento de larvas em locais com água parada.
 
A bióloga Alessandra Laranja, do Instituto de Biociências da UNESP (campus de São José do Rio Preto), durante a pesquisa da sua dissertação de mestrado, descobriu que a borra de café produz um efeito que bloqueia a postura e o desenvolvimento dos ovos do Aedes Aegypti. O mosquito pode ser combatido colocando-se borra de café nos pratinhos de coleta de água dos vasos. Com duas colheres de sopa de borra de café para cada meio copo de água, pode ser aplicada em pratos que ficam sob vasos com plantas, dentro de bromélias e sobre a terra dos vasos, jardins e hortas. É a busca de soluções caseiras e baratas para um povo tão ausente de recursos como o brasileiro.
 
Quero ressaltar que a dengue não tem tratamento específico. Na maioria das vezes é tratada pela hidratação e pelo uso de antitérmicos para controlar a febre, a cefaléia, e as dores no corpo. As pessoas contaminadas devem evitar o uso de medicamentos a base de ácido acetil salicílico que podem favorecer às hemorragias. É preferível o uso de medicamentos a base de paracetamol. Mas nunca se deve tomar qualquer medicamento sem a orientação do médico que deve ser o responsável pelo diagnóstico correto da doença. Mas de imediato siga as regras abaixo e motive seus vizinhos a fazerem o mesmo: - Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Na hora de lavar o recipiente, passe um pano grosso ou bucha nas bordas.
 
Substitua a água dos vasos de plantas por areia grossa umedecida; - Esvazie as garrafas sem uso. Elas devem ser guardadas de boca para baixo, de preferência em lugares cobertos; - Todo material descartável que acumula água, como copos de plástico, latas e tampinhas de garrafa, deve ser jogado no lixo; - Pneus velhos são um dos lugares preferidos do mosquito da dengue. Por isso, eles devem ser guardados em lugar coberto ou furados; - Mantenha as caixas d´água, poços, latões e filtros bem fechados; Troque diariamente a água de bebedouros de animais. Leve bem o recipiente com uma escova ou bucha; - Mantenha limpas as calhas, lajes e piscinas; - Elimine a água acumulada em bambus, bananeiras, broméias, etc.
 
Evite plantas que acumulem água, como gravatás, babosa, espada-de-São-Jorge, entre outras. A dengue é, portanto, uma doença intrinsecamente ligada à problemática urbana . A solução para o seu controle é complexa e difícil, a exemplo de outras doenças que são fruto do contexto atual, como a Aids e o diabetes não insulino-dependente, a obesidade e a hipertensão. A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), vinculada ao Ministério da Saúde, está já obteve resultados com  a criação de um bioinseticida que mata as larvas do mosquito transmissor da dengue, sem causar dano à população. Trata-se de um comprimido que, dissolvido na água, é ingerido pelas larvas, que sofrem paralisia e deixam de se alimentar, morrendo em 24 horas.Sintetizado a partir de uma bactéria inofensiva a humanos, animais e plantas, o comprimido foi batizado de BTI (o nome da bactéria é Bacillus thuringiensis israelensis). Mas ainda planeja-se sua produção em larga escala.
 
Por enquanto, é fundamental uma mudança das premissas do controle da dengue. Cabe estar mantendo-o sob controle. A dengue deve entrar na lista de doenças a serem enfrentadas não como uma inclusão temporária, sazonal, mas como um problema permanente, com raízes profundas na sociedade contemporânea, com determinantes cuja eliminação ou modificação demandam profundas transformações econômicas, sociais e culturais. Seja você, o fim da picada e auxilie a acabar com os criadouros.
 
*Articulista 

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Casa do Trabalhador de Aquidauana oferece 11 vagas de emprego nesta terça-feira

2
Anastácio

Marido tenta estrangular e ameaça passar serrote no pescoço da mulher

3
Aquidauana

Promotora nega notificação a vendedores ambulantes e diz que apura outras irregularidades

4
Policial

Assentado mata cachorro a tiros porque animal atacava seus patos e galinhas

Vídeos

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Fiações rompidas são recuperadas e motoristas ‘fora do padrão’ podem ser responsabilizados

Moradores de Anastácio flagram óleo descendo para Rio Aquidauana

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,87m
Miranda
2,28m
Paraguai
2,41m

Colunas e Blogs

Raquel Anderson

Oswaldão e o horário de Verão!

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

Viajar só faz bem...

Pedro Puttini Mendes

Aquidauana: "meio" ambiente ou um ambiente inteiro?

Ver Mais Colunas
498110595