Tenho...

22/07/2019 22:15:00



Que buscar um novo enredo...
Mudar minha... Trajetória!
Reescrever a história...
Desvendar alguns... Segredos!
Plantar um novo... Arvoredo!
Mas... Preservar o que resta!
De repente aparar... Arestas!
Registrar, não em papel.
Nem toda vitória... Troféu!
Bons tempos da... Seresta!


Assistir da arquibancada...
Não vejo como privilégio.
Num repente... Sacrilégio!
A situação... Complicada!
Chantagem... Massificada!
Povo entra em parafuso.
Está sem rumo... Confuso!
No popular... “Perdido!”
O quanto tem mentido...
Cada dia, novo... Intruso!


Excesso de... Mediocridade!
As propostas... Apresentadas!
De lugar nenhum ao... “Nada!”
Esta a triste... Verdade!
Quanta incompatibilidade...
Sobram... Falta de comando!
País, barco... Naufragando!
É um show de... “Besteirol!”
Lança toxina... “Furfurol!”
Como vento, vai... Levando!


Atitude de estadista...
Que sugere... Protocolo!
Não funciona... “Um dos polos!”
Despeja vocábulos... Racistas!
Atravessa... “Sai da pista!”
Adora criar... “Obstáculos!”
Perdeu as garras, tentáculos...
Paupérrimo seu... Repertório!
Parece... “Animador de velório!”
Seu desconexo... Vernáculo!

Poema: Valdemir Gomes dos Santos 23/07/2019


Valdemir Gomes - Valdemir Gomes