Têm...

13/11/2019 17:01:00



Humanos, folhas secas...
Sempre levados pelo vento.
Não pode ver vago... Assento!
Uma verdadeira... Boneca!
Postura levada... “Breca!”
Na política se encosta.
Corrompe falsas... Propostas.
Qual serrote... “Vai e vem!”
Milho fubá... “Xerém!”
A eles viro as... Costas!


Na retina da... Sociedade!
Importante... Olho vivo!
Esses lixos, não... Arquivo!
Nem tratamento de igualdade.
São depósitos de... Falsidades!
Que contaminam o ambiente.
Joio, trigo... Semente!
Age sempre com esperteza.
Do ilícito faz... Defesa!
Verdadeiro... Delinquente!


Para disfarçar... Postura!
Muito solícito... Prestativo!
Como lubrificante... Aditivo!
Educado, de fina cultura...
Camaleônica... Criatura!
No popular... “Sabonete!”
Prático como... “Molinete!”
Digamos fácil manejo.
Trejeito de... Caranguejo!
Um verdadeiro... “Tapete!”


Importante calma, cautela...
Cozinhe com pouco... “Fogo!”
Jamais entre nesse... Jogo!
Observe pela... “Janela!”
Quando rejeitado... “Apela!”
Renova apenas... Repertório!
Adora plateia... Auditório!
Fazendo papel de... Vítima!
Diz... Reivindicação legítima!
Assim, demarca... Território!

Poema: Valdemir Gomes dos Santos 14/11/2019


Valdemir Gomes - Valdemir Gomes