Agora...

21/11/2019 17:30:00



O povo lamenta escolha...
Entrou em... “Barco furado!”
Pelo gesto “Arm...” Hipnotizado!
O País grande... Bolha!
O Pau vai... “Cair à folha!”
Simplesmente saiu do... “Prumo!”
Barco sem leme... “Rumo!”
O que assistimos... Bravata!
Só patina, não... “Engata!”
Governo distribuindo... “Fumo!”


Na verdade sem... Projeto!
Fala pelos... “Cotovelos!”
De inocência tem... “Selo!”
Não existe proposta... Objeto!
Grande fossa... Dejeto!
Estamos descendo... “Ladeira!”
Muito barulho... “Zueira!”
O povo já não... Aguenta!
Corda do lado mais... Rebenta!
Desgraça pouca... “Besteira!”


Assistimos o desmonte...
Aves de rapina em... Ação!
Palavra em voga... “Privatização!”
Não avistamos... Horizonte!
Estão implodindo... Pontes!
Entregando nossas riquezas.
Cartão corporativo, despesas...
A gente paga... Mordomias!
Não têm limites... Quantias! 
Sobram... Arrogância, avareza!


Saúde, segurança, educação...
Seus recursos... Reduzidos!
Como pobre tem sofrido...
Desrespeito... Humilhação!
O arrogante sem... Noção!
Seu discurso... Armas, tanque!
Ainda não desceu... “Palanque!”
Uma verdadeira... “Fulegarem!”
Sem conteúdo... Bagagem!
Da cartola coelho... “Arranque!”

Poema: Valdemir Gomes dos Santos 22/11/2019


Valdemir Gomes - Valdemir Gomes