A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
17 de julho de 2019
Anuncie Aqui
8828-->
Economia

Dilma sanciona sem vetos o Orçamento da União para 2013

Peça orçamentária será publicada no Diário Oficial da União desta sexta (5). Orçamento prevê R$ 2,276 trilhões em receitas e crescimento de 4,5%.

5 ABR 2013 - 09h05min
G1
A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta quinta-feira (4), sem vetos, o Orçamento da União para 2013. A lei orçamentária, que prevê crescimento de 4,5% da economia e receitas de R$ 2,276 trilhões, havia sido aprovada em 12 de março pelo Congresso Nacional, 71 dias depois do previsto.
 
A votação foi concluída no terceiro mês de 2013 porque o Congresso entendeu, no final do ano passado, que uma decisão liminar (provisória) do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, trancava a pauta e impedia a votação do Orçamento. Somente depois de o plenário da Suprema Corte se manifestar sobre o impasse é que deputados e senadores entraram em acordo para apreciar a proposta de Orçamento.
 
Pela Lei de Diretrizes Orçamentárias, se o Orçamento não é sancionado pelo presidente da República até 31 de dezembro, o governo não pode gastar no ano seguinte o dinheiro das receitas previstas para novos projetos. Para contornar essa restrição, o governo editou em dezembro uma medida provisória que liberou R$ 42,5 bilhões para os cofres do Tesouro.
 
O texto do Orçamento será publicado na edição desta sexta-feira (5) do Diário Oficial da União. Segundo a assessoria do Palácio do Planalto, Dilma não efetuou nenhum veto no projeto aprovado pelos congressistas.
 
Do total de receitas previstas pelo Legislativo, R$ 610,1 bilhões serão usados para pagar o refinanciamento da dívida pública. Descontando-se esse valor, o orçamento previsto para investimentos, custeio e pagamentos da seguridade social soma R$ 1,66 trilhão.
 
Reajustes
 
O Orçamento de 2013 prevê reajuste de 5% a servidores dos três poderes, Judiciário, Legislativo e Executivo. O aumento é menor do que o reivindicado pelo Judiciário e já estava previsto no texto do Orçamento enviado pelo Executivo.
 
Em setembro, o então presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto, enviou projeto de lei ao Congresso solicitando ajuste de 7,12% em 2013. Com o aumento de 5%, o salário de ministro do Supremo passará de R$ 26.737,13 para R$ 28.059,28.
 
Pela proposta orçamentária enviada pelo Executivo e mantida pelo Congresso, o impacto dos reajustes de 5% para o Judiciário será R$ 964 milhões, em 2013.
 
Para os servidores do Legislativo será de R$ 285 milhões. Para servidores do Ministério Público da União, será de outros R$ 123 milhões. No total, a despesa com pessoal, somado Executivo, Legislativo e Judiciário, além do MPU, será de R$ 12,912 bilhões. O total de recursos destinados a despesas de pessoal é de R$ 203,24 bilhões.
 
Economia
 
O Congresso manteve previsão inicial do Executivo de crescimento de 4,5% do Produto Interno Bruto em 2013. Após resultados do primeiro bimestre, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, já reviu para baixo as projeções. Anunciou que a economia deve crescer entre 3% e 4%.
 
O Orçamento prevê superavit primário [economia feita para pagar os juros da dívida pública] de 3,12% do PIB para todo o setor público (R$ 155,851 bilhões) e de 2,16% (108,99 bilhões) para o governo federal.
 
Saúde e educação
 
Para o Ministério da Saúde, a lei orçamentária destina R$ 99,8 bilhões. O texto também prevê que cada parlamentar apresente, no mínimo, R$ 2 milhões em emendas individuais para projetos da área da saúde. Para o Ministério da Educação, o Orçamento prevê R$ 81,1 bilhões.
 
Liberdade ao Executivo
 
O texto aprovado concede ao Executivo o maior grau de liberdade para movimentar os investimentos previstos no Orçamento.
 
O governo poderá, por exemplo, remanejar 30% das dotações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) inscritas no orçamento fiscal e da seguridade, que somam R$ 51,9 bilhões, conforme o texto aprovado hoje.
 
Com isso, o Executivo poderá movimentar R$ 15,6 bilhões entre os projetos que compõem o PAC, sem a necessidade de autorização do Congresso. A proposta também permite a movimentação dos recursos integrais do PAC executados pelas estatais, um montante de R$ 74,1 bilhões.
 

Veja também

Mais Lidas

1
Geral

Homem atacado por onça-pintada é salvo por 5 cachorros em MS

2
Policial

Após bebedeira e brincadeira de cunho sexual, amigo mata idoso com facada

3
Policial

Trabalhador foge de carvoaria em MS onde foi mantido como escravo

4
Aquidauana

Confira as oportunidades da Casa do Trabalhador de Aquidauana

Vídeos

Ministro do Turismo lança em Bonito programa para geração de empregos e renda no MS

Com atrações tradicionais e elenco de programa de TV, circo é atração para família

Bombeiros resgatam gatinhos presos no motor de veículo

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min17 max29

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min17 max29

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,76m
Miranda
2,74m
Paraguai
3,91m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Será...

Fausto Matogrosso

O Brasil diante do mundo

Giovani José da Silva

HISTÓRIAS DE ADMIRAR: EDUCAÇÃO, QUEM PRECISA?

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Hotéis

Hotel Aquidauana Palace

R. Manuel Antonio Paes de Barros, 904 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-1492/ 1602
Camping

Camping Pequi - Estrada da Margem Esquerda

, - 79210-000 Anastácio/MS (55) (67) 3245-0949/ www.pantanalpequi.com.br
Farmácias e Drogarias

Farmaláis

Rua Estevão Alves Corrêa, 2431 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-7439
Ver Mais
508110664