A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
23 de maio de 2019
Anuncie Aqui
9084
Economia

Dilma sanciona sem vetos o Orçamento da União para 2013

Peça orçamentária será publicada no Diário Oficial da União desta sexta (5). Orçamento prevê R$ 2,276 trilhões em receitas e crescimento de 4,5%.

5 ABR 2013 - 09h05min
G1
A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta quinta-feira (4), sem vetos, o Orçamento da União para 2013. A lei orçamentária, que prevê crescimento de 4,5% da economia e receitas de R$ 2,276 trilhões, havia sido aprovada em 12 de março pelo Congresso Nacional, 71 dias depois do previsto.
 
A votação foi concluída no terceiro mês de 2013 porque o Congresso entendeu, no final do ano passado, que uma decisão liminar (provisória) do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, trancava a pauta e impedia a votação do Orçamento. Somente depois de o plenário da Suprema Corte se manifestar sobre o impasse é que deputados e senadores entraram em acordo para apreciar a proposta de Orçamento.
 
Pela Lei de Diretrizes Orçamentárias, se o Orçamento não é sancionado pelo presidente da República até 31 de dezembro, o governo não pode gastar no ano seguinte o dinheiro das receitas previstas para novos projetos. Para contornar essa restrição, o governo editou em dezembro uma medida provisória que liberou R$ 42,5 bilhões para os cofres do Tesouro.
 
O texto do Orçamento será publicado na edição desta sexta-feira (5) do Diário Oficial da União. Segundo a assessoria do Palácio do Planalto, Dilma não efetuou nenhum veto no projeto aprovado pelos congressistas.
 
Do total de receitas previstas pelo Legislativo, R$ 610,1 bilhões serão usados para pagar o refinanciamento da dívida pública. Descontando-se esse valor, o orçamento previsto para investimentos, custeio e pagamentos da seguridade social soma R$ 1,66 trilhão.
 
Reajustes
 
O Orçamento de 2013 prevê reajuste de 5% a servidores dos três poderes, Judiciário, Legislativo e Executivo. O aumento é menor do que o reivindicado pelo Judiciário e já estava previsto no texto do Orçamento enviado pelo Executivo.
 
Em setembro, o então presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto, enviou projeto de lei ao Congresso solicitando ajuste de 7,12% em 2013. Com o aumento de 5%, o salário de ministro do Supremo passará de R$ 26.737,13 para R$ 28.059,28.
 
Pela proposta orçamentária enviada pelo Executivo e mantida pelo Congresso, o impacto dos reajustes de 5% para o Judiciário será R$ 964 milhões, em 2013.
 
Para os servidores do Legislativo será de R$ 285 milhões. Para servidores do Ministério Público da União, será de outros R$ 123 milhões. No total, a despesa com pessoal, somado Executivo, Legislativo e Judiciário, além do MPU, será de R$ 12,912 bilhões. O total de recursos destinados a despesas de pessoal é de R$ 203,24 bilhões.
 
Economia
 
O Congresso manteve previsão inicial do Executivo de crescimento de 4,5% do Produto Interno Bruto em 2013. Após resultados do primeiro bimestre, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, já reviu para baixo as projeções. Anunciou que a economia deve crescer entre 3% e 4%.
 
O Orçamento prevê superavit primário [economia feita para pagar os juros da dívida pública] de 3,12% do PIB para todo o setor público (R$ 155,851 bilhões) e de 2,16% (108,99 bilhões) para o governo federal.
 
Saúde e educação
 
Para o Ministério da Saúde, a lei orçamentária destina R$ 99,8 bilhões. O texto também prevê que cada parlamentar apresente, no mínimo, R$ 2 milhões em emendas individuais para projetos da área da saúde. Para o Ministério da Educação, o Orçamento prevê R$ 81,1 bilhões.
 
Liberdade ao Executivo
 
O texto aprovado concede ao Executivo o maior grau de liberdade para movimentar os investimentos previstos no Orçamento.
 
O governo poderá, por exemplo, remanejar 30% das dotações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) inscritas no orçamento fiscal e da seguridade, que somam R$ 51,9 bilhões, conforme o texto aprovado hoje.
 
Com isso, o Executivo poderá movimentar R$ 15,6 bilhões entre os projetos que compõem o PAC, sem a necessidade de autorização do Congresso. A proposta também permite a movimentação dos recursos integrais do PAC executados pelas estatais, um montante de R$ 74,1 bilhões.
 

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Adolescente tem fratura exposta em acidente na Avenida Pantaneta

2
Aquidauana

Motociclistas têm ferimentos leves em acidente ocorrido na Vila Cidade Nova

3
Policial

Ataque de pistoleiros deixam seis mortos e um bebê de 11 meses ferido na fronteira

4
Bodoquena

Problemas de saúde fizeram Zenaide despertar para o amor à comunidade carente

Vídeos

PRF promove campanha de combate a violência sexual infantil

Portal Atacado • Anastácio MS | Especial Dia das Mães

Colisão ocorreu no cruzamento da Rua Américo de Sousa com a Travessa Ragalzi

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min12 max19

Aquidauana

Chuvoso de manhã. Aberturas de sol à tarde e pancadas de chuva que vão até a noite.
min12 max19

Anastácio

Chuvoso de manhã. Aberturas de sol à tarde e pancadas de chuva que vão até a noite.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,96m
Miranda
5,17
Paraguai
5,79m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Preciso...

Raquel Anderson

Dona Pérola!

Giovani José da Silva

HISTÓRIAS DE ADMIRAR: A EDUCAÇÃO BÁSICA – QUEM SE...

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Hotéis

Hotel Escobar

Rua Marechal Mallet, 1850 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-2078
Automóveis

Centro Automotivo Globo

Rua Theodoro Rondon, 347 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-4357
Pousadas

Fazenda Cacimba de Pedras

Acesso por Miranda ou Taunay, - Aquidauana/MS (67) 3382-1555 / 998 www.cacimbadepedras.com.br
Ver Mais
508110597