A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
19 de Setembro de 2017
Anuncie Aqui
8474
Economia

Menor desemprego e volta dos investimentos sugerem retomada do crescimento

Melhora dos índices de confiança, aumento de investimentos produtivos e desaceleração do desemprego sugerem retomada do crescimento econômico no País

28 AGO 2016 - 08h00min
Governo Federal
O fechamento de postos de trabalho começa a perder folego no Brasil. Com o ganho de confiança entre famílias e empresários, gradualmente investimentos saem do papel e o País dá os primeiros passos para voltar a gerar emprego e renda.

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) já refletem as mudanças no cenário econômico e mostram que houve uma desaceleração no total de desligamentos. Essa melhora é possível ser observada tanto no mês quanto no acumulado de 12 meses.

Quando se compara julho com igual mês do ano passado, houve uma desaceleração de 40% no saldo de demissões ? enquanto em 2015 foram fechados 157,9 mil postos, neste ano o número foi menor, 94,7 mil.

Apesar do número ainda negativo, o Ministério do Trabalho e o governo em exercício tem atuado para reverter o quadro de desemprego no País.

Medidas para recuperar a economia, a exemplo da que cria um teto para a expansão dos gastos públicos, podem resgatar a capacidade de crescimento do Brasil.

Recuperação do mercado de trabalho

Essa tendência de melhora do mercado de trabalho também pode ser observada quando se mede o saldo de desligamentos acumulados em 12 meses. Em março de 2016, pior momento para o emprego, 1,85 milhão de pessoas haviam sido demitidas nos 12 meses anteriores.

Agora, depois de se observar os primeiros resultados de medidas econômicas, esse saldo recuou para 1,70 milhão ? uma melhora de 8,1% em quatro meses.

?Estamos perdendo menos vagas e a tendência para os próximos meses é que essa desaceleração continue e possamos gerar vagas no segundo semestre?, ponderou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

Melhora a confiança do consumidor

Com essa melhora do mercado de trabalho, somado a um cenário mais favorável para o custo de vida e a um maior otimismo com a própria renda, a confiança do consumidor voltou a crescer em agosto.

Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), houve um avanço de 0,8% frente a julho e de 3,1% comparado a agosto de 2015.

Essa maior confiança entre os consumidores também gerou impactos positivos entre os comerciantes ? em 12 de 13 ramos observados pela Fundação Getulio Vargas (FGV) foi registrado aumento do otimismo.

Investimentos no Brasil

Esse ciclo de acontecimentos positivos tem influenciado ainda a taxa de investimentos da economia, que depois de oito trimestres em queda voltou a crescer.

Um indicador desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), que tenta prever esse resultado, registrou crescimento de 0,38% no segundo trimestre do ano.

A taxa de investimento da economia, chamada de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), é um dos componentes do Produto Interno Bruto (PIB). Quando ela aumenta, também avança o potencial de crescimento do País.

Veja também

Mais Lidas

1
Anastácio

Motorista morre após perder controle da direção

2
Anastácio

Embriagado, soldado do Exército é preso após bater contra muro

3
Aquidauana

Artesão e marceneiro, Zé Descamisado não veste uma camiseta há 40 dias

4
Policial

Carreta descontrolada atinge carros em bloqueio e mata duas pessoas

Vídeos

Sucuri maltratada por turistas em Albuquerque - Distrito Corumbá MS

Carreta Hospital do Câncer de Barretos

Banda grava clipe musical entre vagões da estação ferroviária de Aquidauana

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,38m
Miranda
2,11m
Paraguai
3,46m

Colunas e Blogs

Giovani José da Silva

HISTÓRIAS DE ADMIRAR: E AGORA, ARNALDO?

Valdemir Gomes

Adeus...

Raquel Anderson

As belas lembranças da vida que agora doem!

Ver Mais Colunas
498110557