A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
19 de abril de 2018
Anuncie Aqui
8498
Polêmica

Promotor é punido por atuar em evento com 'peladonas' que ele mesmo organizou

Polêmica festa de motociclistas gerou punição

30 JUN 2017 - 13h40min
Midiamax

O Colégio de Procuradores de Mato Grosso do Sul manteve a decisão de punir o promotor de Justiça Antônio Carlos Garcia de Oliveira, por não ter se declarado impedido de atuar na fiscalização do ‘Motoshow’ – evento realizado em 2014 em Três Lagoas -, em que ele era um dos organizadores. O tradicional de motociclistas ganhou repercussão naquele ano por causa das ‘peladonas’ flagradas pelas ruas da cidade.

O promotor é acusado de facilitar a realização do evento, pois não solicitou sequer a licença ambiental para que os shows fossem realizados – naquela edição a banda Sepultura era uma das atrações. Ele alegou em sua defesa que a Arena Mix, como um espaço de eventos, já possuía permissão para funcionar e por este motivo não necessitava de uma nova vistoria.

Antônio admitiu na corregedoria admitiu ser idealizador do evento, mas negou que naquele ano em questão estivesse organizando e afirmou que apenas apoiou porque era membro do Rotary Club – responsável pelo encontro de motos na cidade. Apesar das alegações, o promotor pode ficar impedido de receber promoções e remoções por um ano; sua última promoção ocorreu justamente em agosto daquele ano.

A decisão era de 2014, mas nos últimos três anos o promotor vinha recorrendo, e nesta quinta-feira (29), o Colégio de Procuradores decidiu que Antônio agiu dessa forma porque foi colaborador da festa, portanto, teria agido sem imparcialidade. Segundo o Procurador Gilberto Robalinho, relator do recurso, haviam irregularidades de conhecimento do promotor, mas ainda assim ele não teria tomado todas as providências necessárias.

Dois colegiados foram contrários a punição do colega, entre eles o procurador Rodrigo Stefanini. “É um promotor atuante em Três Lagoas, foi uma falha emocional, movida pelo amor ao motociclismo”, defendeu. Humberto Brittes destacou que há uma 'rusga antiga' entre a PRF (Polícia Rodoviária Federal) e a promotoria da cidade.

Festa polêmica

Em setembro de 2014, o que era para ser mais um evento de motociclistas se transformou em uma grande polêmica, com mulheres peladas pelas ruas de Três Lagoas e denúncias de atos obscenos. Para se ter ideia da situação, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) registrou 500 multas e 20 recolhimentos de CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Pelas ruas, motocicletas e veículos de luxo, a maioria com placas de outros estados, como São Paulo, se exibe com as mulheres nuas. Em volta deles, uma aglomeração de homens se amontoa para filmar e fotografar.

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Van com oito pessoas bate em carretinha de caminhonete na BR-262

2
Anastácio

Casa incendiada é de funcionária de fazenda que passava a semana fora

3
Nota de Falecimento

Morre oficial de justiça aposentado Maximiro de Arruda, vítima de câncer

4
Policial

Assaltantes morreram durante confronto com a Polícia Militar

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Paraguai
4,74m
Miranda
4,67m
Aquidauana
3,65m

Colunas e Blogs

Robinson L Araujo

CASAMENTO: O Plano Perfeito de DEUS Para a Família - 1...

Valdemir Gomes

Peço...

Raquel Anderson

Na mesa do bar!

Ver Mais Colunas
498110688