A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
24 de junho de 2019
Anuncie Aqui
9082
Geral

Brasileiros lucram na Venezuela de Chávez; vendas chegam a US$ 3,6 bilhões

24 JUL 2007 - 09h34min
folha on line

Apesar das turbulências diplomáticas com a Venezuela, o Brasil vende como nunca ao país governado pelo presidente Hugo Chávez, com um aumento de 32,8% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado. Mas a enorme e crescente assimetria no comércio bilateral reforça a percepção de que uma eventual entrada ao Mercosul não será positiva para o país.


No primeiro semestre deste ano, quando Chávez e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva divergiram em temas como o uso do etanol e a criação do Banco do Sul, as exportações brasileiras se beneficiaram sobretudo do aumento do consumo de carne bovina e da venda de automóveis novos, dois dos produtos que tiveram uma recente explosão de vendas.


A venda de carne bovina desossada aumentou 449% no primeiro semestre deste ano, em comparação ao mesmo período de 2006. Já a exportação de automóveis, o principal produto de exportação brasileiro para a Venezuela, aumentou 147,55%. O país foi responsável por 9,35% do total vendido.


Desde que Lula chegou ao poder, as vendas brasileiras para a Venezuela passaram de US$ 608 milhões, em 2003, para US$ 3,6 bilhões no ano passado --aumento de 492%.


Já de 1999 a 2002, período em que Chávez e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso conviveram no poder, o crescimento foi de apenas de 48% em quatro anos, passando de US$ 536,7 milhões para US$ 798,9 milhões. Todos os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior brasileiro.


Além da aproximação diplomática, foi nesse período que o preço do barril de petróleo explodiu. Quando Chávez se elegeu, em 1998, o barril do petróleo venezuelano se vendia a US$ 10. Em 2003, custava US$ 25,7. Hoje vale US$ 69,06.


A consolidação das relações comerciais com a Venezuela ainda não provocou grandes investimentos de empresas brasileiras. A exceção é o grupo Gerdau, que no mês passado comprou a siderúrgica Sizuca por US$ 92,5 milhões. Até então, a única empresa brasileira com fábrica em solo venezuelana era a Ambev, que desembarcou em 1994, antes de Chávez.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Homem é esfaqueado no pescoço por rival pede socorro à PM, em Aquidauana

2
Policial

Homem de 55 anos morre engasgado após jantar

3
Aquidauana

Jovem é agredida por trio em bar no Bairro Alto e diz que teve celular tomado

4
Policial

Homem é executado a tiros durante festa junina na fronteira

Vídeos

Motorista que causou acidente admitiu ter bebido cerveja e não tinha CNH

PRF promove campanha de combate a violência sexual infantil

Portal Atacado • Anastácio MS | Especial Dia das Mães

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min17 max31

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min17 max31

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,69m
Miranda
3,48m
Paraguai
5,59m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Nas...

Giovani José da Silva

HISTÓRIAS DE ADMIRAR: A BOLSA E O NADA OU OS LADRÕES ...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

Mão/Faça-se!

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Bares/Panificadoras/Lanchonetes

Rotatória Conveniência

Av. Pantaneta, 420 Bairro Alto - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-6271
Farmácias e Drogarias

Drogaria Brasil

Rua Estevão Alves Correa, 476 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 4261
Cosméticos e Perfumaria

Realce Cosméticos

Rua Sete de Setembro, 734 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-1920
Ver Mais
508110709