A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
16 de julho de 2018
Anuncie Aqui
8490
Danos morais

Cliente será indenizada em R$ 5 mil por receber cartão que não pediu

10 OUT 2017 - 10h30min
DValentim

O juiz Ariovaldo Nantes Correa, da 8ª Vara Cível de Campo Grande, condenou um estabelecimento comercial ao pagamento de R$ 5 mil de danos morais pelo envio de um catão de crédito a uma cliente, mesmo após a recusa da assinatura do contrato. A loja foi condenada pela situação considerada prática abusiva. 

A cliente relatou que estava na loja na companhia da mãe quando lhe foi ofertado um cartão. Foram solicitados seus dados apenas para preencher a minuta e, após a leitura, deparou-se com cláusula que não concordava e decidiu não firmar o contrato de serviço. Afirma que foi informada pela atendente que o documento com os seus dados seria destruído.

No entanto, um mês após o ocorrido recebeu em sua residência um cartão de débito/crédito em seu nome e, mesmo sem utilizar o cartão, recebeu a fatura lhe cobrando tarifa de anuidade. Sustenta que a conduta da ré configura prática abusiva e deve ser condenada ao pagamento de dano moral. 

Em contestação, a loja defende que agiu dentro da legalidade e que a autora não demonstrou o pedido de cancelamento do cartão e que não pode ser responsabilizada por insatisfação posterior do consumidor, pois a autora tinha ciência da contratação do seguro e suas implicações. A ré sustenta, por fim, que o contrato é válido e que não houve dano moral. 

O juiz Ariovaldo Nantes Correa esclareceu que a ré não demonstrou por meio de documentos, de modo satisfatório, a contratação do serviço pela autora, ônus que lhe cabia conforme prevê o Código de Processo Civil. “Como a ré não comprovou que a autora tenha contratado os serviços de cartão de crédito, indevida qualquer cobrança ao mesmo relacionada”. 

Com relação ao pedido de danos morais, o juiz apreciou que o envio do produto sem qualquer solicitação prévia por parte do consumidor configura prática abusiva, conforme dispõe o art. 39, III, do Código de Defesa do Consumidor e a Súmula 532 do Superior Tribunal de Justiça, de modo que julgou procedente o pedido. 

Veja também

Mais Lidas

1
Anastácio

Após boate fechar, cliente se esconde em quarto de funcionário que mora no local

2
Policial

Após desentendimento, sogra sofre golpe de capacete da nora, e revida agressão

3
Aquidauana

Para driblar a crise, profissional cria borracharia móvel para atender o cliente onde estiver

4
Aquidauana

Família aumenta recompensa para 1 mil reais para quem encontrar labrador

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Paraguai
5,15m
Miranda
2,66m
Aquidauana
2,70m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

França...

Manoel Afonso

Amplavisão 1314 – O eleitor ao estilo ‘rabo de olh...

Raquel Anderson

Vamos falar de Amor?

Ver Mais Colunas
498110554