A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
17 de Janeiro de 2018
Anuncie Aqui
8502
Segurança Pública

Começa nesta segunda-feira o serviço de alerta de desastres naturais via SMS

Serviço é gratuito e foi desenvolvido para auxiliar população em áreas de risco a tomar medidas preventivas, evitando acidentes decorrentes das condições climáticas

14 JAN 2018 - 11h15min
Assessoria/Governo de Mato Grosso do Sul

Começa na próxima segunda-feira (15) o envio de alertas de desastres naturais via SMS pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Mato Grosso do Sul, com o objetivo de agilizar medidas preventivas que garantam a segurança da população. No Estado, 20 municípios estão sendo monitorados por conta das fortes chuvas, estando 16 deles sob decreto de situação de emergência.

“É uma importante ferramenta que vai auxiliar nosso trabalho nesse período crítico de chuvas. Podemos enviar tanto alertas para vários municípios ao mesmo tempo, quanto específicos, por exemplo, somente à população de Coxim informando sobre o nível alto do rio Taquari e orientando a população ribeirinha de como agir”, exemplifica o coordenador-adjunto da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel Fábio Catarinelli.

Para ter acesso ao serviço gratuito, basta responder ao SMS que deverá ser enviado pelas operadoras de telefonia contendo a seguinte mensagem: “Defesa Civil Nacional informa: novo serviço de envio de SMS gratuito com alertas de áreas de riscos. Para se cadastrar responda para 40199 com CEP de interesse”.

Ao receber a mensagem, o cidadão interessado em receber os alertas deverá responder com o Código de Endereçamento Postal (CEP) de interesse. A partir daí ele receberá os alertas sempre que houver situação que requeira atenção especial ou medidas preventivas.

“Não se trata de mensagens de previsão do tempo, somente dos alertas quando precisarmos avisar a população para uma situação extrema”, explica o coordenador-adjunto da Defesa Civil. Ele reforça que ao receber o alerta a população não deve entrar em pânico, mas ficar atento às informações para agir preventivamente. 

Implantação

O mesmo usuário poderá cadastrar mais de um CEP para receber os alertas. Também poderá descontinuar o serviço quando desejar. Sistema semelhante de alerta opera em mais de 20 países. No Brasil, o modelo foi desenvolvido pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) e teve início com projeto piloto em Santa Catarina, em fevereiro do ano passado.

Ele é decorrente da Lei 12.983/14 que trata da execução de ações para prevenção em áreas de risco e que tornou obrigatório que as empresas de telefonia transmitam gratuitamente alertas sobre o risco de desastres naturais à população. A implantação tem sido gradativa e a previsão é que até março deste ano esteja em funcionamento em todo o território brasileiro. Apesar da abrangência nacional, os alertas são regionalizados emitidos pelas Coordenadorias Estaduais de Defesa Civil.

Caso por algum motivo o cidadão não receba a mensagem de sua operadora, pode solicitar o cadastramento enviando SMS para o número 40199 com seu CEP de interesse. No caso de mais de um CEP, deverá ser enviada uma mensagem para cada endereço.

Veja também

Mais Lidas

1
Anastácio

Após ser 'pego no flagra', homem agride namorada em Anastácio

2
Aquidauana

Homem joga veículo contra policial militar após ser abordado na Teodoro Rondon

3
Aquidauana

Direção do Estabelecimento Penal de Aquidauana doa banco para família de menino doente fazer rifa

4
Policial

Homem que matou ex na frente das filhas é encontrado morto

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
5,18m
Miranda
7,00m
Paraguai
2,96m

Colunas e Blogs

Giovani José da Silva

HISTÓRIAS DE ADMIRAR: CHEGADAS & PARTIDAS (OU PERDIDOS...

Robinson L Araujo

DIFICULDADES SE LEVANTAM PARA SEREM VENCIDAS

Pedro Puttini Mendes

Agenda Ambiental de 2017 e o que espera o agronegócio ...

Ver Mais Colunas
498110710