A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
17 de dezembro de 2018
Anuncie Aqui
8504
Geral

Divisa MS-Paraguai terá zona de vigilância

25 SET 2007 - 09h43min
mnp

Transporte de gado será restrito, sob fiscalização, e poderá ser autorizado somente após os animais ficarem em quarentena.


O prejuízo com a febre aftosa em Mato Grosso do Sul chegou a R$ 28,9 milhões só com indenizações, pagas pelo governo federal, a fazendeiros que tiveram cerca de 90 mil cabeças de gado abatidas. A próxima medida será criar uma zona de alta vigilância, "espécie de zona tampão, na fronteira com o Paraguai", afirma o superintendente de Agricultura de Mato Grosso do Sul, Orlando Baez.


Uma instrução normativa do Ministério da Agricultura definirá, no início de outubro, restrições ao transporte de gado, dentro da zona de vigilância a ser criada nos municípios de Mato Grosso do Sul situados próximos à fronteira com o Paraguai, informou Baez.


Na região da fronteira ocorreram os primeiros focos da doença em outubro de 2005. Os municípios de Japorã, Mundo Novo e Eldorado ainda estão sob restrições sanitárias.


Baez disse que o transporte de gado será restrito, com maior acompanhamento da fiscalização e poderá ser autorizado somente após os animais ficarem em quarentena. As regras valerão na faixa de fronteira, que incluiu 14 municípios de Mato Grosso do Sul.


Também no início de outubro deverá sair, segundo Baez, o resultado dos exames que apontarão se ainda há circulação de vírus da aftosa em Japorã, Mundo Novo e Eldorado.


De outubro de 2005 a agosto deste ano, o Ministério da Agricultura e a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) abateram animais suspeitos de estar com a doença nos três municípios.


A Superintendência da Agricultura de Mato Grosso do Sul informa que, incluindo as indenizações e convênios com municípios e entidades para prevenção à doença, foram gastos cerca de R$ 48 milhões.


Combate conjunto


O presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Laucídio Coelho Neto, disse que "precisamos fazer [o combate à doença] em conjunto com o Paraguai".


Coelho Neto define a restrição ao transporte do gado como "uma medida necessária que vai incomodar muito quem tem propriedade na fronteira".
"É preciso que o governo estude medidas compensatórias", afirma.
Segundo ele, não é possível calcular o prejuízo.


"As medidas de controle de trânsito vão impedir negócios rápidos. Vamos ter de chamar o veterinário para fazer uma vistoria nos animais. O prejuízo será maior com a demora nos negócios."

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Raio queima transformador da Sanesul e Aquidauana fica sem água até 20h deste domingo

2
Aquidauana

Motorista embriagado freia bruscamente após sinal da Polícia e quase causa acidente

3
Aquidauana

Homem ameaça esfaquear ex-companheira em bar do Nova Aquidauana

4
Aquidauana

Sanesul realiza troca de transformador e abastecimento será gradativo

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Paraguai
2,52m
Miranda
5,26m
Aquidauana
2,66m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Em...

Manoel Afonso

MDB sobreviverá sem Puccinelli?

Alessandro Arruda

As leis e nossa incapacidade de produzi-las

Ver Mais Colunas
498110735