A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
25 de abril de 2019
Anuncie Aqui
9086
Geral

IPC/CG apresenta deflação em julho

2 AGO 2007 - 16h05min
assessoria de comunicação

Apesar dos aumentos nos preços da carne bovina e do leite e seus derivados, o Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG) apresentou forte deflação no mês de julho (-0,46%) em relação a junho deste ano. O índice é calculado mensalmente pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (NEPES), vinculado a UNIDERP e UNAES, em convênio com a FIPE, e busca medir o nível de variação dos preços mensais do consumo de bens e serviços, a partir da comparação da situação de consumo do mês atual em relação ao mês anterior, de famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.


De acordo com o coordenador do NEPES, professor Celso Correia de Souza, observou-se variação positiva somente no grupo Saúde (0,08%). Nos outros grupos as variações foram negativas: Habitação (-0,52%), Alimentação (-0,17%), Transportes (-1,29%), Educação (-0,12%), Despesas Pessoais (-0,83%) e Vestuário (-0,14%). "A maior contribuição negativa foi do grupo Transportes, com (-0,18%), seguido do grupo Habitação, com (-0,17%)", comenta o coordenador.


Habitação apresentou uma forte deflação em seu índice, de (-0,52%). Contribuíram positivamente os produtos: DVD (7,40%), saponáceo (4,95%) e água sanitária (2,14%). Contribuíram negativamente na composição desse índice: ventilador (-8,31%), carvão (-5,17%), televisor (-3,06%) e condicionador de ar (-2,32%).


O índice de preços do grupo Alimentação apresentou uma pequena deflação, de (-0,17%). "Alguns produtos que compõem este grupo têm variações significativas, algumas positivas e outras negativas, características da sazonalidade de seus produtos e das condições climáticas. Tiveram fortes aumentos de preços os produtos: limão (31,75%), maracujá (23,95%), pão de queijo (18,31%), melancia (16,18%) e queijo mussarela/prato (15,66%)", explica Celso Correia. Destacam-se, também, com quedas significativas nos preços: beringela (-31,69%), alface (-31,04%), tomate (-28,20%), abobrinha (-26,61%), cebola (-25,87%) e melão (-22,21%).


Conforme o Índice, a carne de frango teve ligeira alta, de 2,95% em miúdos e 0,99% em frango congelado. Na carne bovina os aumentos de preços foram mais acentuados, ficando em 11,72% na costela, 10,99% no músculo, 9,90% no acém, 8,57% no coxão-mole, 8,17% no contra-filé, 7,03% na alcatra e 5,44% no filé mignon. A carne suína apresentou em julho aumento do pernil, de 1,98% e quedas de preços na costeleta (-2,18%) e bisteca (-3,07%).


O grupo Transportes apresentou uma deflação significativa, de (-1,29%). Destacaram-se com aumentos de preços: passagens de ônibus interestadual (4,27%) e automóvel novo (0,37%). Quedas de preços ficaram por conta do álcool combustível (-6,00%), gasolina (-2,35%), pneu novo (-1,22%) e óleo diesel (-0,21).


Segundo o pesquisador do NEPES, José Francisco Reis Neto, o Grupo Educação apresentou uma moderada deflação em seu índice, de (-0,12%), devido à queda generalizada de preços de materiais didáticos, em torno de (-0,84%).


Os pesquisadores destacam que o grupo Despesas Pessoais apresentou uma forte deflação (-0,83%). Os produtos que tiveram aumentos de preços neste grupo foram hidratante (2,45%), papel higiênico (1,80%) e jogos lotéricos (1,53%). Os produtos com maiores quedas de preços foram: vídeo locadora (-10,30%), filme fotográfico (-7,05%) e absorvente higiênico (-2,36%).


Saúde apresentou uma elevação moderada em seu índice de preços, em torno de 0,08%. Os produtos com maiores aumentos foram analgésico e antitérmico (1,62%) e anticoncepcional e hormônio (1,58%). As maiores quedas de preços ficaram por conta de antimicótico e parasiticida (-0,97%) e gastroprotetor (-0,57%).


De acordo com a pesquisa, observou-se no grupo Vestuário uma pequena variação negativa em seu índice, em torno de (-0,14%). Os produtos que mais aumentaram de preços foram: short e bermuda masculina (4,41%), camiseta feminina (4,29%) e tênis (3,47%). Os produtos que tiveram seus preços mais reduzidos foram: camiseta masculina (-6,37%), blusa (-5,34%), saia (-4,65%) e vestido (-3,82%).


Inflação Acumulada - A inflação acumulada na cidade de Campo Grande nos últimos doze meses é de 3,16% e no ano de 2007 é de 1,67%. Como a meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) continua sendo de 4,5%, com tolerância de 2% para mais ou para menos, a inflação acumulada nesses últimos doze meses, nesta cidade, está bem abaixo dessa meta. "Somente o grupo Transportes apresentou deflação de (-0,67%) nos últimos doze meses e (-0,86%) neste ano, refletindo, de modo geral, quedas de preços nos combustíveis nos anos de 2006 e 2007. Todos os outros grupos apresentaram inflação nos últimos 12 meses e neste ano. Assim, o grupo Alimentação, nos últimos 12 meses teve inflação acumulada de 6,46% e 2,43% neste ano de 2007. Destaca-se, também, o grupo Educação, com inflação acumulada de 5,63% em 12 meses e 5,47% neste ano", finaliza José Francisco Reis Neto.

 (67) 99984.6000

Veja também

Mais Lidas

1
Bodoquena

Militar fica gravemente ferido em acidente na MS-339, entre Bodoquena e Miranda

2
Aquidauana

PM de Aquidauana acha morteiro do Exército na casa de traficante e chama o Bope

3
Geral

Funcionário debocha de currículos em vídeo, gera revolta nas redes e é demitido

4
Policial

Polícia encontra ossada de foragido denunciado por estupro de vulnerável em Anastácio

Vídeos

Cooperativa de Mulheres do Cristo Rei pede doações para confecção de ovos de Páscoa

Imbatíveis no remo de guerra, Bombeiros são tricampeões em competição do Exército

Suposto homicida e detido na manhã de 3 de Abril de 2019 em Aquidauana-MS

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min23 max33

Aquidauana

Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
min23 max33

Anastácio

Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
3,30m
Miranda
4,39m
Paraguai
5,12m

Colunas e Blogs

Robinson L Araujo

ANSIEDADE!

Valdemir Gomes

Mais...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

AQUIDAUANA INTELIGENTE, HUMANA E SUSTENTÁVEL

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Associações e Sindicatos

AABB - Associação Atlética Banco do Brasil

Rua João Dias Feitosa, 1661 Bairro da Serraria - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 3051/99911
Pousadas

Fazenda Santa Sophia

Rio Negro, - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3686-2025
Dentistas

Claudio C. T. França e Halessandra J. C. França

Rua Augusto Mascarenhas, 574 Centro - 79200000 Aquidauana/MS (67) 3241-1729 /8402
Ver Mais
508110651