A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
24 de Março de 2017
Anuncie Aqui
8214
Geral

SUS perdeu quase 42 mil leitos em sete anos, diz relatório

MS foi o estado que mais sofreu com desativações; RR teve aumento. Áreas mais afetadas são psiquiatria, pediatria, obstetrícia, cirurgia e clínica.

14 SET 2012 - 14h45min
G1
O Sistema Único de Saúde (SUS) desativou quase 42 mil leitos de hospitais nos últimos sete anos, revela uma análise do Conselho Federal de Medicina (CFM). Atualmente, o país tem mais de 354 mil leitos em todos os estados, mais o Distrito Federal. A redução, portanto, representa 11,8% do total em atividade hoje.
 
Os dados foram obtidos pelo Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, do Ministério da Saúde, e fazem parte de um relatório sobre os aspectos que dificultam o trabalho dos médicos no Brasil, como a falta de investimentos e infraestrutura.
 
Entre outubro de 2005 e junho 2012, Mato Grosso do Sul foi o estado que mais sofreu com a perda de leitos, com uma queda de 26,6%. Em seguida, aparecem Paraíba (19,2%), Rio de Janeiro (18%), Maranhão (17,1%) e São Paulo (13,5%).
 
As áreas mais prejudicadas foram psiquiatria, pediatria, obstetrícia, cirurgia geral e clínica geral.
 
Apenas seis estados apresentaram um aumento no número de leitos nesse período: Roraima (33,5%), Rondônia (23,6%), Amapá (9,2%), Pará (7,4%), Amazonas (6,7%) e Acre (2%).
 
'Tendêncial mundial'
 
Segundo disse em nota o presidente do CFM, Roberto Luiz d'Ávila, "os gestores simplificaram a complexidade da assistência à máxima de que 'faltam médicos no país'. Porém, não levam em consideração aspectos como a falta de infraestrutura física, de políticas de trabalho eficientes para profissionais da saúde e, principalmente, de um financiamento comprometido com o futuro do Sistema Único de Saúde".
 
O texto afirma ainda que, na visão do Ministério da Saúde, a redução de leitos é uma tendência mundial, decorrente do avanço dos equipamentos e remédios que permitem tratamentos sem a necessidade de internação.
 
Apesar disso, o governo tem investido na criação de novos leitos hospitalares: no ano passado foram abertos 1.296 e este ano devem ser 1.783.
 
Médicos por mil habitantes
 
O levantamento do CFM aponta também o número de médicos por mil brasileiros: 1,95, em média. Ao todo, 371 mil profissionais estão registrados no conselho em todo o país.
 
O Distrito Federal lidera a proporção de médicos por mil pessoas (4,02), seguido do Rio de Janeiro (3,57), de São Paulo (2,58), do Rio Grande do Sul (2,31) e do Espírito Santo (2,11). No fim da lista, estão Maranhão (0,68), Piauí (0,83), Amapá (0,96), Piauí (1) e Acre (1,03).
 
De acordo com o conselho, 72% dos médicos no Brasil estão concentrados nas regiões Sul e Sudeste. Para que essa distribuição seja mais equilibrada, o CFM cita fatores como mais leitos e equipamentos, planos de cargos e salários e vínculo empregatício.
 
Entre os países com sistema universal de saúde, o nosso tem o menor percentual de participação do setor público por habitante. Cuba aparece no topo, seguida de Suécia, Espanha, Alemanha, França, Argentina, Austrália, Reino Unido e Canadá.

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

“Estamos chocados”, diz morador de Rio Negro sobre crime bárbaro desta quinta feira

2
Policial

Capitania Fluvial instaura inquérito administrativo para apurar afogamento da menina Laura

3
Aquidauana

Concurso da Uems tem 7 vagas para níveis médio e superior em Aquidauana

4
Policial

Homem aborda jovem com camisa aberta e penis de fora

Vídeos

Criança ainda está desaparecida nas águas do Aquidauana

Incêndio em residência em Anastácio

Lançamento de Obras em Aquidauana

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,59m
Miranda
2,0m
Paraguai
1,10m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

A...

Giovani José da Silva

HISTÓRIAS DE ADMIRAR: MEIAS PALAVRAS

Raquel Anderson

Feminice!

Ver Mais Colunas
472810706