A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
24 de Julho de 2017
Anuncie Aqui
8463

Mais procurados da Interpol tem 5 acusados de Mato Grosso do Sul

Em geral, foragidos estão ligados ao tráfico de drogas

2 FEV 2017 - 09h12min
Correio do Estado
A Interpol e a Polícia Federal divulgaram lista onde constam cinco foragidos de Mato Grosso do Sul como os mais procurados. Em geral, a maioria praticou o crime de tráfico de drogas.
 
Todos os procurados são naturais de cidades de fronteira e cometeram os crimes em diferentes épocas. Os processos a que respondem tramitam nas Justiças Estadual e Federal, dependendo da natureza dos delitos que foram praticados.
 
Quem representa o Brasil na Interpol é a Polícia Federal. A instituição é a união de 190 países, que trabalham em conjunto para tentar prender criminosos que tenham ramificação em diferentes países ou que tenham fugido para outras nações.
 
Toda vez que um criminoso torna-se foragido e a depender do grau de periculosidade e a possibilidade de ele fugir para outros países, a Interpol é acionada para auxiliar na investigação e tentar realizar a prisão desses suspeitos.
 
Regularmente há também operações conjuntas para localizar foragidos. A última que foi realizada em âmbito no continente americano aconteceu em dezembro de 2013 para tentar localizar 266 pessoas. Participaram dessa ação 46 países, entre eles o Brasil.
 
A Superintendência da PF em Mato Grosso do Sul divulgou, por meio da assessoria de imprensa, que pode receber denúncias.
 
Veja quem está na lista de mais procurados do mundo que são de Mato Grosso do Sul. Pistas desses suspeitos podem ser fornecidas diretamente à Interpol:
 
MARCIAL DARIO ACOSTA
 
Ele tem 38 anos, é de Ponta Porã e cometeu os crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Ele é apontado, segundo investigações, como liderança no tráfico internacional de drogas envolvendo Bolívia, Brasil, Paraguai e Peru. Ele responde a processos no Rio Grande do Sul e na Justiça Federal daquele estado.
 
VILSON ADELAR SANTI
 
De 39 anos, o acusado é de Amambai e foi mentor do sequestro de um empresário do setor de frigorífico em 2 de junho de 2010. Ele responde a processo de sequestro e porte ilegal de arma de fogo.
 
Era pedido resgate de R$ 500 mil, mas a vítima conseguiu escapar de cativeiro que tinha sido montado perto do rio Panduí. Santi trabalhava para o empresário e conseguiu escapar, enquanto o comparsa dele, André Cristiano Tesche, foi preso em 14 junho de 2010.
 
JEAN PAUL CORREA MORINIGO
 
Com 37 anos, Morinigo é apontado como líder de organização criminosa que atua no tráfico de cocaína e tem ligações no Uruguai, Paraguai e Bolívia. O destino do entorpecente, em geral, é para a Europa.
 
O transporte dessa cocaína, de acordo com investigações, acontece em aviões. Inclusive, Morinigo é apontado como dono de aeronaves.
 
Em 2014, ele chegou a ser preso em Montevidéu, no Uruguai, durante a Operação Dilúvio. Ele foi descoberto depois de ocorrer a apreensão de 268 quilos de cocaína em outubro de 2014. O acusado usava identidade falsa quando houve essa prisão. Conforme a Interpol, ele não está mais detido e o seu paradeiro é incerto.
 
Em Ponta Porã, em 2003, a Polícia Federal chegou a apreender cocaína que pertencia ao pai de Morinigo, que é Elio Gimenez. Ambos acabaram detidos na época, pois acompanhavam o carregamento, que era transportado em outro veículo.
 
AGOSTINHO VACA TEJAYA
 
De Corumbá, Tejaya tem 56 anos e é procurado por tráfico internacional de drogas. Na mesma quadrilha que ele atua, há pessoas de outros países, como macedônio, sérvio, sul-africano e brasileiro.
 
Um dos esquemas descobertos era o de enviar cocaína do Espírito Santo para a Europa em blocos de granito. Em ação que tramitou em 2013, três pessoas da mesma organização criminosa foram condenados, mas Tejaya está foragido desde então.
 
Investigações da Polícia Federal apontam que o grupo atua também em São Paulo, Paraná, Amazonas, Pará e Rondônia.
 
ALBERTO AMARILHA
 
Ele tem 48 anos e é procurado pelo crime de apropriação indébita. Os dados da Interpol e da Polícia Federal não fornecem mais detalhes sobre a dinâmica do crime praticado por ele.
Alberto Amarilha cometeu apropriação indébitaMarcial Dario Acosta, procurado pela Interpol e é de Ponta PorãAgostinho Vaca Tejaya, de Corumbá e procurado por tráfico internacional de drogas

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Estuprador que matou Kauã se apresentava às vítimas como professor

2
Aquidauana

Mulher tem celular furtado do bolso traseiro do short em Aquidauana

3
Aquidauana

Bandidos arrombam casa em reforma e furtam fios pela segunda vez

4
Aquidauana

Embriagado, interno do semiaberto desobedece e ameaça agentes penitenciários

Vídeos

PRF põe fim a sequestro, vítima estava em poder de menores

Equipe aquidauanense se prepara para o Rally dos Sertões

Sepultamento de Sophia Rondon

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,74m
Miranda
2,35m
Paraguai
4,62m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

A...

Raquel Anderson

Autômatos (in) finitos

Rosildo Barcellos

Heróis Brasileiros

Ver Mais Colunas
481710683