Policial

Suspeita de ajudar facção criminosa, advogada sai da cadeia e aguarda julgamento em casa

Investigações apontam que Daniela transmitia recados das lideranças e chegou a alterar cena do crime

27/05/2013 08:28


A advogada Daniella Dall Bello Tinoco Rondão, 27 anos, presa durante a operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) na última sexta-feira (24), suspeita de envolvimento com uma facção criminosa que age dentro dos presídios, saiu neste domingo (27) da prisão.

Conforme informações publicadas no jornal Midiamax, o presidente da Comissão de Defesa e Assistência das Prerrogativas dos Advogados do Brasil, secção Mato Grosso do Sul, Marco Antônio Ferreira Castelo, contou que assim que Daniela foi detida, eles entraram com um pedido de conversão da prisão domiciliar. ?Na minha opinião, o juiz e o promotor tomaram uma decisão arbitrária. A prisão domiciliar da Daniela não ocorreu antes simplesmente por má fé e desrespeito aos Direitos Humanos?, afirma Castelo.

No sábado, segundo o presidente, foi ajuizado um pedido de Habeas Corpus, com a decisão proferida no plantão judiciário de ontem pelo desembargador Manuel Mendes Carli.

?Daniela é uma advogada atuante, que por diversas vezes presenciou a violação de regras no decorrer das investigações e denunciou tais ações na Corregedoria. Como ela atrapalhou o serviço, foi presa de maneira injusta?, garante o presidente, que contou com o apoio da vice-presidente do órgão, Silmara Salamaia Hey.

Segundo o site, Daniela permanece em casa, no bairro Jardim Leblon, em Campo Grande.

Finanças

As investigações apontam que Daniela transmitia recados das lideranças e chegou a alterar cena do crime, de acordo com o promotor Marcos Alex Vera, do Gaeco. Ela foi uma das 17 pessoas com mandado de prisão cumprido no Estado de Mato Grosso do Sul.

redação