Proprietário da Fazenda Esperança diz se sentir "violentado" com invasão de suas terras

Declaração foi feita ao jornal O Pantaneiro durante reunião dos produtores rurais de Mato Grosso do Sul

04/06/2013 08:13


O proprietário da Fazenda Esperança, Nilton Carvalho da Silva, diz se sentir 'estuprado' com a violação de seus direitos constitucionais ao ter sua propriedade invadida por índios terenas. ?Violência física eu não tive nenhuma. A violência que eu tive é que eu fui julgado, condenado por quem não tem esse poder. Eu fui lesado em todos os meus direitos constitucionais. É uma violência camuflada. Só sente que está recebendo essa violência. Por esse lado eu me sinto estuprado, agredido?, afirmou.

A declaração foi feita ao jornal/site O Pantaneiro durante reunião dos produtores rurais de Mato Grosso do Sul, que estão passando por problemas de conflito de terra, na sede da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) na manhã desta segunda-feira (3), em Campo Grande.

Nilton afirma não saber ainda quais decisões vai tomar sobre o caso. Segundo ele, a questão jurídica está entregue ao advogado, Sérgio Muritiba, que vai orientá-lo e depois será decidido o que será feito. ?Eu ainda não conversei com ele sobre isso. Não sei quais medidas vão ser tomadas?.

Na reunião, os produtores decidiram convocar a bancada federal do estado para intervir no caso. Os cerca de 80 fazendeiros disseram que vão convocar a bancada para que esta solicite a intervenção do Exército Brasileiro e das forças armadas nos conflitos por demarcações de terras no estado.

Os ruralistas acreditam que com a ajuda do Exército e da Força Nacional não haverá mais violência. ?Não queremos que tenham índios mortos e não queremos que fazendeiros morram. As duas forçam podem resolver isso de forma pacífica?, finaliza o presidente da Acrissul, Francisco Maia.

redação