Ministro da Justiça tenta mediar conflitos entre índios e fazendeiros

José Eduardo Cardozo veio a MS na manhã desta quarta-feira. Ele conversou com um grupo de deputados estaduais

05/06/2013 14:10


O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, conversou com um grupo de deputados estaduais na manhã desta quarta-feira (05), na Base Aérea de Campo Grande, e disse que veio a Mato Grosso do Sul na tentativa de ?solucionar os conflitos por terras? e evitar que novas mortes ocorram devido à guerra no campo.
 
A deputada Mara Caseiro (PTdoB), presidente da Comissão de Desenvolvimento Agrário e Assuntos Indígenas da Assembleia Legislativa, disse que a conversa com o ministro foi rápida, mas tranquilizadora, uma vez que ele demonstrou que o governo federal tem boa vontade para solucionar a questão.
 
?Ele nos disse que veio pessoalmente ao Estado, ver o problema de perto, e tentar acalmar os ânimos. Somente com tranquilidade, será possível encontrar caminhos, soluções, sempre preservando as vidas de índios e não índios?, comentou a parlamentar.
 
Mara Caseiro também informou que o presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos (PMDB), e todos os parlamentares presentes se colocaram à disposição para tentar encontrar uma solução pacífica, sobretudo após a morte do indígena Oziel Gabriel durante a reintegração de posse da fazenda Buriti, em Sidrolândia.
 
?Estivemos recentemente em Brasília, conversamos com o ministro, pedimos uma solução rápida para esse conflito, porque vidas não podem ser mais perdidas por conta da disputa por terras. Agora, a Assembleia Legislativa está à disposição mais uma vez para ajudar no que for necessário?, disse a deputada.
 
Além de Mara Caseiro e Jerson Domingos, participaram do encontro com o ministro os deputados Zé Teixeira (DEM), Onevan de Matos (PSDB), Lauro Davi (PSB), Osvane Ramos (PTdoB), George Takimoto (PSL), Dione Hashioka (PSDB) e Lídio Lopes (sem partido).
 
Após sobrevoo na região de Sidrolândia com o governador André Puccinelli (PMDB) e da conversa com os deputados estaduais, o ministro recebeu lideranças indígenas em uma sala reservada na Base Aérea.
 
A assessoria do Ministério da Justiça informou que houve acordo para suspender a reintegração de posse na fazenda Buriti. O acordo, mediado pela AGU (Advocacia Geral da União), prevê que os índios terenas pacifiquem a área. Apesar disso, a Força Nacional vai permanecer na propriedade, e o efetivo da Policia Federal foi amplicado em mais 100 homens.

redação / Aníbal Placêncio