Aquidauana

Cerca de 100kg de cocaína são furtados na delegacia e Polícia Civil investiga o crime

Por meio de nota, a PC afirma que a Corregedoria Geral foi acionada no mesmo dia

13/06/2019 14:25


No final da manhã desta quinta-feira (13) a assessoria de comunicação da Polícia Civil de MS emitiu nota sobre o furto de drogas que ocorreu dentro das dependências da Delegacia de Aquidauana na última segunda-feira (10). A publicação evita falar sobre o tipo e quantidade de droga subtraída do local, entretando, o Sindicado dos Policiais Civis do estado (Sinpol) divulgou notícia no final da noite de ontem (12) afirmando que cerca de 100kg de cocaína foram furtados da delegacia.

A nota da Polícia Civil relata que foi detectado por policiais civis lotados e em exercício na 1ª Delegacia de Polícia de Aquidauana, a subtração de substância entorpecente a qual estava acondicionada em local disponível na unidade policial.

"O Furto em questão ocorreu mediante as qualificadoras de escalada e arrombamento, sendo de imediato as providências adotadas acerca das comunicações necessárias e investigações para elucidar o crime, identificar sua autoria e apreender as substâncias subtraídas", assegura a PC.

Ainda na publicação, a PC acrescenta que em razão do furto, foram comunicados o Poder Judiciário, o Ministério Público e as Autoridades Policiais da administração superior visando a tomada de medidas necessárias para a completa apuração dos fatos.

"No mesmo dia foi acionada a Corregedoria Geral da Polícia Civil, a qual é a responsável pelas investigações, mediante a instauração do respectivo inquérito policial e caso se confirme qualquer colaboração por parte de servidor Policial Civil na prática delituosa, serão instaurados procedimentos administrativos conforme previsão na legislação vigente", complementa.

No comunicado oficial, a Polícia Civil afirma que "por questões de segurança orgânica e ainda para não atrapalhar as investigações, não prestará neste momento informações acerca do tipo e quantidade de substância entorpecente subtraída.[...] Ressalta que adotou e continuará adotando toda celeridade e transparência na comunicação com os órgãos envolvidos na busca do esclarecimento dos fatos e de sua autoria."

Por outro lado

Para o Sinpol, o furto da droga aconteceu em decorrência da falta de estrutura das delegacias de MS, e exemplificou o caso com a citação de um documentário feito em 2017 em que denunciava a presença de drogas nas unidades.

“Infelizmente essa era uma situação que mais cedo ou mais tarde iria acontecer. O Sinpol sempre lutou para que a incineração das drogas apreendidas fosse de forma imediata, no objetivo de manter a segurança aos policiais e à população”, declarou Giancarlo Miranda, presidente do Sinpol. O entorpecente estaria avaliado em aproximadamente R$ 2 milhões.

O caso segue em investigação policial.

 


Redação