Violência Doméstica

Dados apontam que 77% dos feminicídios acontecem dentro de casa em MS

Em 37% dos casos os autores utilizaram de arma branca

01/06/2020 17:57


Em parceria com a Delegacia-Geral da Polícia Civil, a Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SPPM) lançou nesta segunda-feira (1º/6) a primeira edição do Mapa do Feminicídio de Mato Grosso do Sul: um mapeamento dessas mortes violentas ocorridas em Mato Grosso do Sul no ano de 2019. O estudo divulgado neste Dia Estadual de Combate ao Feminicídio servirá como subsídio para elaboração de políticas públicas de enfrentamento à violência.

“É preciso nominar, quantificar e qualificar a investigação e o julgamento dos crimes de feminicídios para a formulação de políticas públicas baseadas em evidências concretas, em estatísticas de cada município, de cada região. É isso o que pretendemos com o diagnóstico alcançado no “Mapa do Feminicídio MS”: aprimorar e fortalecer as políticas públicas de enfrentamento à violência contra mulheres, para prevenir e erradicar os feminicídios em Mato Grosso do Sul”, explica a subsecretária Luciana Azambuja.

O Mapa do Feminicídio lançado hoje traz dados dos 30 casos ocorridos no Estado no ano de 2019 e a constatação de que 77% das mortes ocorreram naquele local onde as mulheres deveriam estar mais seguras: na sua residência. Além disso, ele mostra que em 37% dos casos os autores utilizaram de arma branca (faca, canivete ou machadinha); que 56,66% das mulheres foram mortas por homens com quem conviviam e tinham relacionamento afetivo; que em 40% dos casos o motivo foi a não aceitação do término do relacionamento; e que em 33,33% o motivo alegado foi ciúmes – o que denota sentimento de posse sobre a vítima.

O relatório produzido está disponível no site www.naosecale.ms.gov.br.


Governo de MS