Bebê prematuro dado como morto é salvo por choro

02/08/2007 15:13


Uma menina prematura que tinha sido dada por morta ao nascer foi descoberta com vida no necrotério de um hospital da Argentina, quando um funcionário que ouviu o bebê chorar avisou os médicos.


O caso do bebê ocorreu nesta quarta-feira e foi divulgado um dia depois de a família de um homem de 71 anos ter denunciado que ele foi dado por morto por engano em um centro médico particular de Buenos Aires.


A criança - que nasceu aos seis meses de gestação e com cerca de 650 g - passou mais de três horas dentro de uma câmara do necrotério do hospital de Monte Grande, nos arredores da capital argentina, contou hoje o empregado que a encontrou aos jornalistas. "Foi um presente do céu que o Senhor me deu, um milagre", disse o homem, que não se identificou.


O pai do bebê disse que sua filha "já tinha atestado de óbito, mas depois apareceu com vida e agora está em uma incubadora tentando se recuperar". "Ninguém nos deu uma explicação, nem nos pediram desculpas", disse o pai da criança à emissora local Rádio 10, e acrescentou que, por causa do ocorrido, decidiram dar o nome de Brisa Milagros à menina.


O diretor do hospital, Mario Polzella, disse à mesma rádio que "a criança não tinha sinais vitais, foram feitas todas as manobras de rotina e não conseguiram reanimá-la". "A intenção do hospital é explicar as causas do que aconteceu", disse Polzella, acrescentando que "é espantoso que (a criança) tenha tido forças para chorar" e reiterar que "não há elementos para dizer que houve má praxis".


efe