Turismo

Governo indiano pode restringir acesso de turistas ao Taj Mahal

07/08/2007 07:24


As autoridades arqueológicas da Índia planejam restringir o número de visitantes ao mausoléu do Taj Mahal para evitar a deterioração do monumento, votado recentemente como uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo, informou nesta terça o jornal indiano "Hindustan Times".


O Serviço Arqueológico da Índia (ASI) iniciou um estudo para determinar quantos turistas poderão entrar a cada dia no mausoléu. Em 2006, foram 2,5 milhões de visitas, entre elas cerca de 500 mil estrangeiros.


Na primeira metade de 2007, o Taj Mahal registrou 1,5 milhão de visitantes, entre eles cerca de 274 mil estrangeiros.


"É muito importante realizar um estudo sobre o peso que o monumento pode suportar, levando em conta parâmetros como a afluência de turistas, questões de segurança, a conservação e o ambiente", disse o ASI em sua proposta.


Além disso, o órgão pode inserir um microchip em cada bilhete de entrada para controlar quanto tempo passam os turistas dentro do complexo, além de garantir a segurança.


A agência arqueológica quer atrair especialistas nacionais e internacionais de várias disciplinas para o projeto, seguindo as sugestões de várias organizações mundiais, como a Unesco, informa o jornal.


Revestido de mármore branco e pedras preciosas que mudam de cor com a passagem das horas, o Taj Mahal foi erguido por 20 mil trabalhadores durante 22 anos, de 1631 a 1653. Ele é um símbolo do amor do imperador Shah Jahan por sua esposa favorita, Mumtaz Mahal, que morreu ao dar à luz.


folha on line