Tecnologia

Notebook faz Brasil subir em ranking de micros

01/09/2007 10:20


O crescimento na venda de notebooks fez com que o Brasil passasse da sétima para quarta posição no ranking mundial de vendas de computadores durante o segundo trimestre. De acordo com a consultoria IDC Brasil, que divulgou os dados, entre abril e junho o país comercializou 2,1 milhões de computadores pessoais, noticiou o G1.


Os Estados Unidos ficaram em primeiro lugar nessa lista, com 16 milhões de máquinas vendidas, seguidos pela China (sete milhões) e Japão (3,1 milhões).


De abril a junho, foram comercializadas 300,4 mil unidades de máquinas portáteis e 1,8 milhão de desktops no país. Apesar de os preços dos portáteis terem apresentado queda desde 2006, eles se mantiveram estáveis no segundo trimestre, em relação aos três primeiros meses do ano.


"O que mudou e impulsionou o consumo de notebooks no mercado brasileiro foi a redução nos juros das parcelas e o aumento nos prazos de pagamento. Esses fatores fortaleceram as vendas de produtos tecnicamente mais completos e mais caros", afirmou Reinaldo Sakis, analista da IDC Brasil.


Apesar de os desktops serem mais comercializados que os notebooks, a consultoria esclarece que essa não é uma questão de preferência, mas sim econômica. Isso porque, pelo mesmo valor de um portátil, o consumidor pode comprar um computador de mesa mais potente.


No primeiro trimestre, o Brasil ocupou o terceiro lugar no ranking, se considerada apenas a venda de desktops - foram 1,7 milhão de unidades. No entanto, com a soma da venda de notebooks (227,5 mil), o país foi para a sétima posição. "Isso já indicou um avanço significativo, uma vez que de 2004 a 2006 permanecemos em 8º lugar", disse Sakis. Em 2004, a título de comparação, o Brasil aparecia na oitava posição na lista dos desktops, mas somente em 33º lugar quando considerados apenas os notebooks.


A IDC estima que nove milhões de computadores serão comercializados no Brasil em 2007, crescimento de 25% em relação ao ano anterior.


pequenas empresas & grandes negócios