A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
17 de janeiro de 2019
Anuncie Aqui
8486

Minha filha destrói os brinquedos

20 AGO 2007 - 08h07min
revista cláudia

Ela tem 4 anos e arranca a cabeça das bonecas, faz de conta que os carrinhos explodem e até afogou um ursinho na banheira. Será um problema de agressividade descontrolada?


Esse "jeitinho cruel" de brincar é típico da idade e, embora possa deixar as mães de cabelo em pé, tem um lado saudável. Morte e destruição não possuem para a criança dessa idade o mesmo significado que para os adultos e trucidar o brinquedo pode ser apenas uma forma de aliviar tensões e treinar diferentes papéis.


É normal que tanto os meninos quanto as garotas alternem situações em que são bonzinhos e protetores com os seus brinquedos com outras em que promovem guerras e castigos. De certo modo, estão imitando o que vivenciam. Os exageros ficam por conta da imaginação e da imaturidade dos pequenos que ainda não aprenderam a ceder, dosar emoções e controlar impulsos.


Para o adulto, essas brincadeiras incomodam porque evocam situações de crueldade, maus-tratos e abuso de poder, que racionalmente rejeitamos. A criança não faz esses julgamentos. É sua maneira de refletir e compreender o mundo. Claro que não há uma relação direta entre o grau de agressividade da brincadeira e suas experiências reais. Quando põe a boneca de castigo porque não comeu os legumes, sua filha não está sugerindo que você seja uma megera na hora das refeições. Talvez ela esteja apenas tentando entender e aceitar que existem regras e limites, cujo des cumprimento pode resultar em punições.


Desde que essas atitudes implacáveis estejam alternadas com situações de carinho, não há com que se preocupar. É um bom sinal de que a criança começa a compreender que, na vida, há momentos de frustração e de estímulo, de afeto e de tristeza. Exatamente
como acontece na relação dela com a família, na qual os mesmos pais que lhe impõem limites são também fonte de afeto e de segurança.


Há vezes em que o brinquedo fica destruído na tentativa de descobrir como ele funciona, o que pode aborrecer os adultos. Que nada! Brinquedos são finitos. E, mesmo quando os destroem irremediavelmente, os pequenos tiram uma lição preciosa: a de que estamos ganhando e perdendo coisas o tempo inteiro. Só há motivo para preocupação quando, sem exceção, seu filho assume a posição de algoz ou parece descontrolado ao maltratar o brinquedo. Pode ser um indício de que algo o faz sentir-se oprimido.


Uma dificuldade na escola, um ressentimento por ter perdido os privilégios de bebê ou uma situação conflituosa na família são causas comuns desse tipo de angústia. Uma dose extra de afeto e abertura para acolher os sentimentos do pequeno sempre ajudam. Mas não hesite em buscar o auxílio de um psicoterapeuta caso não consiga encontrar uma explicação para os excessos.

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

“Não me mata, porque eu tenho filhos”, disse merendeira

2
Aquidauana

Capataz planejou furto de 14 cabeças de gado de fazenda em Aquidauana

3
Policial

Polícia Civil apresenta “Palhaço Sabiá” nesta quarta-feira

4
Aquidauana

Abandonado na estação há quase 50 anos, mecânico ainda não sabe o paradeiro dos pais

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Paraguai
2,52m
Miranda
5,26m
Aquidauana
2,66m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Na...

Robinson L Araujo

NÃO DESISTA!

Raquel Anderson

"Num tempo da delicadeza!"

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Escolas Municipais

Escola Municipal Pólo Pantaneira

Fazenda Taboco, Fazenda Taboco - 79200-000 Aquidauana/MS (67)
Pizzarias

Pizza Jóia

Av. Dr. Sabino, 272 Alto - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-2002
Bares/Panificadoras/Lanchonetes

Fest Já

Rua Estevão Alves Corrêa, 1741 Bairro Alto - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-3740
Ver Mais
497810585