A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
16 de julho de 2018
Anuncie Aqui
8490

Nhac! Mordida perfeita

24 JUL 2007 - 08h06min
viva saúde

Quando os dentes nascem ou se desenvolvem em posições inadequadas, você começa a morder errado e tudo fica em desarmonia, sua mastigação, respiração e até mesmo a fala... Especialistas apontam o problema até como a causa de dores crônicas na cabeça e nas costas.


Bastam um sorriso e um olhar mais atento para que sejam denunciados inúmeros problemas que estragam bastante esse verdadeiro cartão de visitas: dentes amarelados, presença de cáries, tártaro, gengivas inflamadas, aftas, mau hálito... O que muita gente não repara é que o jeito de morder os alimentos também pode provocar ou indicar a presença de outros males - e bem mais graves, porque afetam outras regiões do corpo além da boca.


A mordida é capaz de mostrar como está o alinhamento e o posicionamento da dentição ou mesmo a formação óssea da mandíbula. "Se não há harmonia, essa má oclusão, como é tecnicamente conhecida, leva a desconfortos estéticos nos casos mais leves e a incapacitações fisiológicas nos quadros graves. Ou seja, dentes fora do lugar e arcada dentária desproporcional podem causar dificuldades de mastigação, deglutição, de respiração e até de fala", explica a dentista Júlia Futaki, mestre em Dor Orofacial pelo Instituto de Ortopedia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).


Para piorar, ser portador da má oclusão pode, junto a outros problemas como bruxismo (ranger dos dentes), artrite, artrose, estresse e tensão muscular, ansiedade ou mesmo o hábito de roer unhas ou de prender o telefone com o queixo enquanto conversa, credenciar a pessoa a desenvolver uma disfunção temporomandibular (ou DTM) - mal que afeta os músculos da mastigação, responsáveis pela abertura, fechamento e outros movimentos da boca. As conseqüências são dores e incômodos que ultrapassam os limites da boca.


O problema de má oclusão pode ocorrer em qualquer fase da vida e ser de vários tipos, por mordida cruzada (quando há um desa- linhamento dos dentes nas laterais de um ou dos dois lados da boca); mordida aberta anterior; prognatismo (mandíbula ou queixo para frente), retrognatismo (mandíbula para trás), dentes apinhados e encavalados. Quanto às causas, elas também variam desde defeitos estruturais - como má ordenação da dentição, dentes muito largos, dentes extraídos, perda prematura dos dentes- de-leite, maxilares muito grandes ou pequenos - até alterações desencadeadas por maus hábitos (morder canetas, chupar os dedos, usar chupeta de forma inadequada, pressionar a língua sobre os dentes, respirar pela boca) e distúrbios e doenças (apertamento anormal dos dentes um contra o outro, bruxismo, traumas causados por amídalas e adenóides grandes, desvio de septo, rinites alérgicas ou sinusites crônicas.


Diagnóstico e tratamento


De acordo com o dentista Rafael Abate, de Brasília (DF), quase todas as pessoas que possuem má oclusão, sentem dor. Mas há quem não apresente qualquer sintoma. Neste caso, só um profissional poderá avaliar a presença do problema, por meio de exames radiográficos.


Para o especialista, o estresse pode agravar a situação - já que o estado emocional causa contrações e tensões em todos os músculos do corpo.


Quanto antes for diagnosticada a má oclusão, mais rápido será o tratamento e maior será o sucesso da correção. "Se a má oclusão for causada pelo mau posicionamento dos dentes, é imprescindível o uso de aparelhos ortodônticos para o ajuste, indicados desde a infância", orienta a dentista Júlia Futaki, de São Paulo.


Se for de ordem estrutural (defeitos nos ossos e articulações da mandíbula), é feita uma análise mais criteriosa, que pode levar até a uma cirurgia. Quanto antes se faz a correção, melhor a resposta do cérebro e sua reprogramação em relação à mudança.


O QUE UMA MÁ OCLUSÃO PODE DESENCADEAR


 Dificuldade na mastigação e deglutição dos alimentos.
 Desgastes nos dentes
 Dicção e fala alteradas devido à má posição da arcada dentária
 Suscetibilidade à cárie
 Pode ser um fator desencadeante da Disfunção Têmporo Mandibular, DTM, que gera dores de cabeça e musculares
 Favorece a respiração bucal, que pode alterar a mucosa e gengiva da boca, devido à falta de saliva. Isso pode causar maior sensibilidade e irritação na língua, gengiva e nas bochechas, além de causar mau hálito. Respirar pela boca ainda pode prejudicar o desenvolvimento dos seios maxilares e nasais, causando alterações no perfil facial. Também prejudica a respiração e a qualidade do ar inspirado, que não é esquentado nem ao menos filtrado pela região nasal. Finalmente, o respirador bucal sofre alterações na arcada dentária, e o palato (céu da boca) apresenta-se normalmente mais profundo e estreito, prejudicando o posicionamento correto da língua e dos dentes.


DTM E OUTROS INCÔMODOS


Segundo o dentista Oscar Razuk, especializado em reabilitação oral, na disfunção temporomandibular (DTM) ocorre uma compressão muscular na região da articulação da mandíbula. Isso gera uma inflamação, que pressiona a enervação circunvizinha, causando dores regionais, que, dependendo da intensidade, podem se irradiar pelo rosto, cabeça, pescoço e até pelas costas, alerta. A tensão dos músculos da mastigação, perto da têmpora, também gera dores e zumbidos no ouvido, assim como dificuldade de abrir e fechar a boca. Os estalos nas articulações da mandíbula na mastigação são indicadores de que algo está errado, ensina Júlia Futaki. O tratamento para os incômodos causados pela DTM envolve dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, otorrinolaringologistas, neurologistas, fisiatras, reumatologistas, ortopedistas. O alívio é obtido por meio de medicamentos, acupuntura, ioga...


Na área de fisioterapia, aliás, existe hoje uma técnica específica, a miofascioterapia, desenvolvida pela dentista Júlia Futaki, no Instituto de Ortopedia da Faculdade de Medicina da USP, do Hospital das Clínicas, em São Paulo. O especialista em reabilitação oral Oscar Razuk lembra ainda que o tratamento pode ser a simples colocação de uma placa miorrelaxante nos dentes ou a reconstrução de toda a dentição por desgaste excessivo, nos casos mais severos.


JOGO RÁPIDO


Faça o teste e, se responder 'sim' para a metade das perguntas ou mais, há a chance de você ter DTM. Neste caso, procure um especialista.


1. Tem dificuldade para abrir a boca completamente?
2. Ao mastigar, sente cansaço ou dor muscular?
3. Não consegue mexer a mandíbula para os lados?
4. Sofre com dores de cabeça?
5. Apresenta dores na nuca ou torcicolo?
6.Costuma apertar ou ranger os dentes?
7. Tem dor de ouvido ou nas regiões das articulações?
8. Acha que seus dentes não se encaixam bem?
9. É tenso ou muito nervoso?


DENTES X DOR NAS COSTAS


O dentista Rafael Abate pretende demonstrar a relação da má oclusão com a conseqüente má postura do corpo e as dores nas costas. Ele explica: "a mandíbula pode se desviar lateralmente por causa de um dente fora do lugar. Então, a mandíbula conduz toda a dentição a se acomodar em uma posição discrepante". Os músculos mastigatórios do lado oposto, responsáveis por este desvio, ficam fadigados. "Isso ocorre porque esses músculos são estimulados, reflexamente, a manter a mandíbula articulada na posição errada durante 24 horas do dia, o que pode causar dor na face e na cabeça. O cérebro capta a presença da má oclusão e procura naturalmente amenizá-la, fazendo com que o indivíduo encontre uma posição mais confortável e, então, incline a cabeça para o mesmo lado", explica Rafael. Esse conjunto de reações desequilibra o corpo e acaba levando à escoliose idiopática - aquela dor nas costas que afeta 80% da população e não tem uma causa associada. O médico do Grupo de Coluna do Hospital das Clínicas, Alexandre Fogaça Cristante, discorda. "Nunca havia lido nada a esse respeito. A medicina não é baseada em suposições. Toda teoria tem que ser comprovada por trabalhos científicos, com uma análise estatística", afirma.


FIQUE ATENTO AOS SINAIS


 Dor facial
 Dor mandibular, no pescoço, ombro e/ou nas costas
 Dor nas articulações ou na face, ao abrir ou fechar a boca (por exemplo, na hora de bocejar ou mesmo mastigar)
 Enxaquecas (tipo tensão)
 Inchaço ao lado da boca e/ou em outras regiões da face
 Ruídos articulares e dor de ouvido
 Abertura limitada ou inabilidade para abrir a boca confortavelmente
 Desvio da mandíbula para um dos lados
 Travamento ao abrir ou fechar a boca
 Mordida incômoda, "fora de lugar" ou como se estivesse mudando continuamente
 Surdez momentânea, ouvido tampado, vertigem ou zumbido
 Perturbações visuais

Veja também

Mais Lidas

1
Nota de Falecimento

Familiares e amigos se despedem de Giselle Gomes Leite nesta segunda-feira

2
Anastácio

Após boate fechar, cliente se esconde em quarto de funcionário que mora no local

3
Policial

Após desentendimento, sogra sofre golpe de capacete da nora, e revida agressão

4
Aquidauana

Para driblar a crise, profissional cria borracharia móvel para atender o cliente onde estiver

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Paraguai
5,15m
Miranda
2,66m
Aquidauana
2,70m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

França...

Manoel Afonso

Amplavisão 1314 – O eleitor ao estilo ‘rabo de olh...

Raquel Anderson

Vamos falar de Amor?

Ver Mais Colunas
498110536