O Pantaneiro

terça, 08 de maio de 2012 às 10h35

Produtores de MS denunciam ocupação de índios em fazendas, diz polícia

Fazendas em Corumbá e Porto Murtinho foram ocupadas, dizem produtores (Foto: Reprodução/TV Morena)

Notícias Relacionadas

Cerca de 150 índios da etnia kadiwéu ocupam várias propriedades rurais nos municípios de Porto Murtinho e Corumbá, região oeste do estado, conforme denúncia feita pelos produtores à Polícia Federal. Segundo a Fundação Nacional do Índio (Funai), os índios teriam começado as ações a partir do dia 27 de abril. Os produtores denunciaram a situação à polícia nesse domingo (6), depois da ocupação de mais duas fazendas.
 
A PF confirmou a ocupação e a expulsão de donos e funcionários. Segundo a Funai, quatro fazendas foram ocupadas pelos kadiwéu.
 
Proprietária da fazenda Santa Márcia, que tem 6 mil hectares, Nilda Coelho Pereira relatou que os indígenas chegaram armados ao local, no domingo, e expulsaram todos os que estavam na propriedade. “Eles prenderam o capataz, retiraram todas as coisas da casa e deixaram no campo de pouso. Depois, expulsaram todo mundo”, contou a proprietária rural.
 
Ainda nesta segunda-feira (7), um advogado da fazendeira entrou com pedido de reintegração de posse da área. Nilda disse ainda que outras seis propriedades da região estão ocupadas pelos indígenas.
 
No domingo (6), uma equipe da Polícia Federal foi enviada à área para fazer um levantamento prévio da situação. O delegado Alexandre do Nascimento, da PF de Corumbá, confirmou a expulsão na Santa Márcia, mas afirmou que não houve violência durante a ocupação e que ninguém foi mantido refém. O delegado informou ainda que vai aguardar decisão judicial para cumprir a reintegração de posse.
 
Segundo a Funai, os kadiwéu ocupam propriedades na região desde 27 de abril, mas a briga judicial entre indígenas e fazendeiros dura desde abril de 1987. A ação foi protocolada no Supremo Tribunal Federal (STF) por produtores e definirá posse definitiva das áreas.
 
O coordenador regional do órgão, Edson Fagundes, disse que as ações foram motivadas pela decisão recente do Supremo, que reconheceu o direito dos índios pataxó na disputa por terras no sul da Bahia.
 
“A ocupação é para pressionar o STF a votar o processo das terras dos kadiwéu que está há décadas na Justiça. Eles estão lá para defender o território deles”, destacou. Além disso, fazendeiros da região estariam desmatando florestas, de acordo com a coordenação.
 
Segundo a Funai, a reserva indígena dos kadiwéu tem 538 mil hectares e abrange áreas que estão nos municípios de Corumbá, Porto Murtinho, Bonito e Bodoquena. As áreas ocupadas, de acordo com a Funai, estão dentro da área legal da reserva.

Fonte: G1 MS

Comentários

Deixe seu comentário

Antes de escrever seu comentário, Atenção! O Pantaneiro não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Parceiros Coeso Eletrificação Rural Lise Jones - Cerimonial YouZoom Soluções Web AT Informática Chiquinho Sorvets Vivid Estudio Fotográfico