A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
12 de julho de 2020
Anuncie Aqui
-->

Resíduos do pescado podem gerar receita

16 AGO 2007 - 14h41min
assessoria de comunicação

Dentre as atividades que compõem a cadeia produtiva do peixe, a industrialização do pescado precisa ser vista como uma ação integrante, que participa desde a produção do peixe ao seu consumo final. Uma produção estruturada exige uma industrialização acertada, que atenda aos anseios do mercado consumidor.


Para a industrialização, há diversos pontos a serem observados como a estrutura do corpo e dos músculos do pescado, a composição química dos mesmos e o rendimento da parte comestível, que serão processados com métodos que dependem das disponibilidades tecnológicas, espécie e tamanho do peixe, assim como, dos aspectos econômicos e comerciais.


Ainda na fase de industrialização está o aproveitamento dos resíduos do pescado, que segundo Marília Oetter, professora do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da ESALQ/USP, para que as empresas processadoras possam funcionar dentro das conformidades estabelecidas em lei, elas precisam dar um destino para todo o material que sobra da manipulação da matéria-prima. "O conceito de empresa 'limpa' já está consolidado, e particularmente, no caso do pescado, esse resíduo é de grande volume e composto por substâncias de alto valor nutritivo, além de serem úteis para outros fins", ressalta Marília.


A professora da USP destaca que "o piscicultor ao aproveitar o resíduo para transformá-lo em um subproduto com valor comercial estará, conseqüentemente, tendo um aumento de receita". Oetter enfatiza também que "uma vez reciclado há maior aproveitamento, no qual os resíduos são otimizados antes de se tornarem uma única biomassa sem diferenciação e vão sendo destinados a fins mais nobres".


Atualmente, Marília explica, que "as técnicas de aproveitamento utilizadas nas pesquisas se concentram na elaboração de silagem, que são destinadas a comporem rações para peixes".


O aproveitamento dos resíduos sob a forma de silagem apresenta várias vantagens, pois este processo simples, não exige mão-de-obra especializada, pode ser feito em pequena escala e os custos com equipamentos e energia são baixos, além de minimizar o impacto ao ambiente.


A professora Marília Oetter abordará esses assuntos durante o I Congresso Brasileiro de Produção de Peixes Nativos de Água Doce, que acontece de 28 a 31 de agosto, em Dourados-MS, na Embrapa Agropecuária Oeste, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Anastácio

Motorista colide Pajero em anta, capota carro e é socorrida pelos bombeiros

2
Coronavírus

Empresa não libera funcionária com sintomas de coronavírus e Vigilância aciona a PM

3
Anastácio

Embriagado, motociclista cai e fica ferido em Anastácio

4
Policial

Após denúncia de caça ilegal, homem é preso com rifles, espingarda e munições em MS

Vídeos

Cães encontram droga escondida em estofado de veículo

Morador de Taunay encontra jaguatirica morta às margens da BR-262

Bombeiros de Aquidauana estão na operação para controle de grande incêndio no Pantanal

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min18 max35

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min18 max35

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,37m
Miranda
2,09m
Paraguai
1,88m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Um...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

"TUDO"

Rosildo Barcellos

História e tradição a céu aberto

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Pesqueiros

Pesqueiro Panamá - Estrada da Margem Esquerda

, - Aquidauana/MS (67) 3686 1037
Médicos

Marcos Rondon Vaz de Melo

, - Aquidauana/MS (67)
Bares/Panificadoras/Lanchonetes

Rotatória Conveniência

Av. Pantaneta, 420 Bairro Alto - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-6271
Ver Mais