A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
23 de Julho de 2017
Anuncie Aqui
8463
Policial

Acusados viram réus no processo por caso de violência em lava-jato da Capital

Juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida aceitou a denúncia oferecida pelo MPMS

13 JUL 2017 - 10h37min
Redação

A pedido do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, o juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida aceitou a denúncia contra Thiago Giovanni Demarco Sena e Willian Enrique Larrea, ambos acusados pela morte de Werner Moreira Silva, ocorrida em fevereiro deste ano em um lava-jato de Campo Grande. Após passar por procedimentos cirúrgicos na Santa Casa da Capital, Werner não resistiu aos ferimentos causados pela mangueira de um compressor de ar que foi introduzida em seu ânus. O rapaz de 17 anos morreu no dia 14 de fevereiro de 2017.

Com efeito, os dois acusados viram réus no processo, respondendo por homicídio doloso - com intenção de matar. Sendo assim, o processo será julgado pelo Tribunal do Júri.

Na ação penal em que se pede a denúncia em desfavor de Thiago Giovanni Demarco Sena e Willian Enrique Larrea, o MPMS por meio da 18ª Promotoria de Justiça, entendeu que o crime foi cometido mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, pois de acordo o procedimento investigatório

“O denunciado Willian, prevalecendo-se do porte físico franzino da vítima, imobilizou-a e agarrou-a pela frente do corpo, segurando seus braços e tórax, de forma a impossibilitar sua fuga, possibilitando, posteriormente, o denunciado Thiago, aproveitar dessa paralisação da vítima e, ligar o compressor e introduzir nela a mangueira de ar. Assim, caracterizada a qualificadora em tela, visto que a vítima imobilizada pelos denunciados, não teve qualquer chance de esboçar reação e de se defender, tampouco de fugir da investida que sofreu”.

O Ministério Público alegou ainda que os denunciados agiram com dolo eventual, pois estavam cientes do potencial ofensivo da mangueira, assumindo o risco de matar, e mesmo cientes do perigo concreto que poderiam causar, ambos inseririam a mangueira no corpo da vítima, expondo órgãos vitais à forte pressão de ar.

Após passar por procedimentos cirúrgicos no Hospital Santa Casa, Werner Moreira Silva não resistiu aos ferimentos causados pela compressão de ar e veio a óbito no dia 14 de fevereiro de 2017.

*Título alterado em 18/07, às 21h49 para correção de informações

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Menino foi morto por asfixia ao reagir a estupro, diz polícia

2
Policial

Acidente de trânsito mata idoso em Miranda

3
Policial

Caçador é preso com rifles e animais abatidos na região do Pantanal

4
Anastácio

Homem é preso com revólver e negociando munições pelo celular

Vídeos

PRF põe fim a sequestro, vítima estava em poder de menores

Equipe aquidauanense se prepara para o Rally dos Sertões

Sepultamento de Sophia Rondon

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,74m
Miranda
2,35m
Paraguai
4,62m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

A...

Raquel Anderson

Autômatos (in) finitos

Rosildo Barcellos

Heróis Brasileiros

Ver Mais Colunas
481710650