A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
21 de agosto de 2019
Anuncie Aqui
8826-->
Policial

Em 2018, traficantes de animais foram flagrados com 143 aves em MS

Período de agosto a dezembro é preocupante com relação ao tráfico de animais silvestres no Estado

5 FEV 2019 - 14h54min
Danielle Valentim

O tráfico de animais silvestres é considerado a terceira atividade criminosa mais rentável, perdendo apenas para o tráfico de drogas e o tráfico de armas. Em Mato Grosso do Sul, o problema se resume, especificamente, ao papagaio. Em 2018, 143 aves foram resgatadas.

Por esse motivo, o período de agosto a dezembro é preocupante com relação ao tráfico de animais silvestres no Estado, pois é o período reprodutivo dos papagaios que é o animal mais traficado. Nesse período, a PMA mantém trabalhos preventivos nas propriedades rurais para prevenir a retirada dos animais e aliciamentos de funcionários de fazendas e assentados pelos traficantes, para a retirada dos filhotes.

No ano de 2018, foram apreendidos ao todo, 143 animais, sendo tudo ave. Desses, 98,60% foram papagaios, com 141 animais apreendidos. A quantidade foi 72,5% inferior a 2017, quando foram apreendidos ao todo, 521 animais, sendo tudo ave. Desses, 66,22% foram papagaios, com 345 animais apreendidos. A quantidade de filhotes de papagaios apreendidos em 2018 foi 59,13% inferior a 2017.

Os valores de multas aplicados em 2018 foram de R$ 145.000,00, número 50% inferior ao ano de 2017, quando foram aplicados R$ 290.000,00 em multas.

Entre 2017 e 2018 deve-se, em princípio, à apreensão de 250 canários-da-terra no ano de 2017, com um traficante que os levaria à região Nordeste. Aves diferentes de filhotes de papagaios não são comuns a apreensão por tráfico em Mato Grosso do Sul. Em 2018, somente duas aves que não eram filhotes de papagaios foram apreendidas.

De qualquer forma, o número do tráfico é sempre variável, pois, muitas vezes, podem se apreender grandes quantidades de animais de uma única vez. No Estado, a PMA tem tentado todos os anos evitar o tráfico de animais silvestres, realizando operações preventivas, no sentido de evitar a retirada dos papagaios dos ninhos, ou prender os traficantes, tendo retirado poucas aves.

Trabalhos de informação e de Educação Ambiental que são realizados em áreas rurais são fundamentais, porque o modus operandi principal dos traficantes é de aliciamento dos sitiantes e funcionários de propriedades rurais e assentados, para que retirem os animais e os avisem para que os comprem. Muitas pessoas fazem isto, às vezes, sem saber que estão cometendo crime ambiental.

A PMA realiza trabalhos preventivos nas propriedades rurais. Barreiras também são executadas nas saídas para o estado de São Paulo, que é para onde os papagaios retirados têm saído.

No ano passado, no período crítico de retirada de papagaios, agosto a dezembro, a PMA realizou diversas operações preventivas em conjunto com o IBAMA e ICMBIO, com 55 participantes entre Policiais e fiscais, com apoio do IBAMA de Brasília. Essas operações preventivas podem ter influenciado na diminuição de apreensões dos papagaios em 2018, com relação a 2017.

Principais pontos de tráfico - A região principal do problema e que é monitorada é basicamente a que constitui os municípios de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina e Brasilândia, além de Naviraí e Mundo Novo. Nessa região, ninhos também são monitorados pelos Policiais, para evitar a retirada dos filhotes. 

Confore a polícia, o destino registrado até o momento dos papagaios é o estado de São Paulo. 

Outras espécies - Outro tipo de tráfico, do qual Mato Grosso do Sul é apenas rota, é de canário-peruano (Sicalis flaveola valida). Esse animal entra no Brasil, trazido por traficantes peruanos, bolivianos e brasileiros e é levado, na maioria das vezes, para Brasília (DF) e para a região Nordeste e norte de Minas Gerais, para serem utilizado em “rinhas”, por ser uma espécie apenas um pouco maior, mas muito parecida com o Sicalis flaveola brasiliensis, o nosso “canário-da-terra”. A primeira apreensão registrada foi no ano de 2000, quando 400 canários eram levado para Brasília no porta-malas de um veículo.

Os canários peruanos também são cruzados em cativeiro com a ave brasileira, fato que coloca em risco esta espécie. O cruzamento produziria um espécime intermediário, difícil de ser diferenciado e muito forte para utilização em “rinhas”. Uma única vez, no ano de 2015, cinco canários foram apreendidos em Corumbá, sendo criados em cativeiro.

Com relação a essas aves, em 2017 e 2018 não houve nenhuma apreensão, porém, foram apreendidos 280 animais em 2016 e 1810 no ano de 2015. Normalmente as apreensões dessas aves são em grandes quantidades.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Nota de Falecimento

Jorge Kuzano morre após ser atropelado por caminhonete em Piraputanga

2
Nota de Falecimento

Jorge Kuzano morre após ser atropelado por caminhonete em Piraputanga

3
Nota de Falecimento

Jorge Kuzano morre após ser atropelado por caminhonete em Piraputanga

4
Policial

Polícia suspeita de crime passional no sumiço de servidora e homem é preso

Vídeos

Wild Camp reúne apaixonados por Kombi neste fim de semana em Camisão

Wild Camp reúne apaixonados por Kombi neste fim de semana em Camisão

Gaeco apreende 26 armas, munições e documentos que já estão na Delegacia de Aquidauana

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min17 max32

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min17 max32

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,14m
Miranda
2,20m
Paraguai
3,58m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Quando...

Raquel Anderson

Aquidauana

Fausto Matogrosso

ATÉ QUANDO?

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Supermercados

Supermercado União

Carlos F. Bandeira 12 Qdr. 15, conj. Ovídio Costa I - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-3622
Restaurantes

Pizza 10

Rua Deodoro Rondon, - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 1010/2911
Ag. Correios

Agencias dos Correios -Central

Manoel Antonio Paes de Barros, 620 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 6065
Ver Mais
508110669