A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
20 de Outubro de 2017
Anuncie Aqui
8502
Violência

Soldado perde testículo em sessão de tortura no alojamento do Exército

Jovem de 20 anos sofreu golpes com pedaços de madeira, plástico e fios e precisou ter o órgão amputado; Exército expulsou 8 militares

7 ABR 2017 - 08h49min
O Estadão

Foram três minutos de tortura. Com as mãos e os pés amarrados, o soldado de 20 anos do 27.º Batalhão de Infantaria Paraquedista que sonhava em seguir a carreira militar sofreu golpes com pedaços de madeira, plásticos e fios. Na sequência, foi deitado em uma cama e um cabo mordeu suas nádegas até sangrar e arrancar pedaços. O jovem teve um testículo amputado por causa das agressões. O relato é do advogado Marcelo Figueira, que representa o soldado na ação movida na Justiça Federal contra 18 cabos acusados de tortura.

Em nota, o Comando Militar do Leste do Exército informou que instaurou inquérito policial militar sobre o caso e indiciou e expulsou até agora oito pessoas. Eles foram licenciados em 28 de fevereiro e não têm mais vínculo administrativo com a instituição. O caso foi revelado pelo jornal O Globo.

Segundo Figueira, a sessão de tortura aconteceu no segundo andar do alojamento dos cabos, em horário fora do expediente. Para que os golpes e os gritos do jovem não fossem vistos nem ouvidos, os agressores fecharam janelas e cortinas. Um soldado que estava com o rapaz, e que também seria torturado, teria desmaiado ao testemunhar as agressões.

Figueira afirma que os cabos mandaram que, no dia seguinte, a vítima usasse roupas de mangas compridas e calças para que ninguém visse as marcas. Mas, dois dias depois, por causa dos golpes nos testículos, ele teve um órgão amputado - e o outro ficou comprometido. Após a operação, os médicos informaram que o soldado não poderá mais saltar de paraquedas. 

O caso aconteceu há dez meses, mas apenas em fevereiro deste ano o soldado decidiu acionar a Justiça Federal do Rio. A vítima mora na zona norte da cidade e preferiu não ter o nome divulgado.

“Entendemos que a União tem responsabilidade neste caso. Ele está muito traumatizado, fazendo acompanhamento psiquiátrico e psicológico. O sonho dele era ser paraquedista igual ao tio. Passou da fase de recruta com as melhores notas, mas agora não quer mais voltar para o Exército”, disse Figueira.

O soldado, que estava na Força havia um ano e meio, entrou em licença médica para recuperação física e psicológica. Segundo o advogado, ele pediu ao comandante para que fosse deslocado para outro grupo, para não ter de conviver com os agressores, mas não foi atendido.

Denúncia. A Justiça Militar da União recebeu denúncia feita pelo Ministério Público Militar em 14 de março. A iniciativa desencadeou um processo em curso na Justiça Militar. Uma audiência está agendada para o dia 10 de maio de 2017, segundo informou o Exército.

Em nota, o comando do 27.º Batalhão de Infantaria Paraquedista afirmou que adotou todas as medidas administrativas e de apoio médico e psicológico. “Após a recuperação de uma cirurgia a que foi submetido, na qual foi extraído um dos testículos, o militar passou por uma inspeção de saúde, em 31 de agosto de 2016, recebendo o parecer ‘apto’, visto que o fato não resulta em incapacidade definitiva para o serviço do Exército. Entretanto, desde 21 de outubro de 2016, o soldado foi afastado de suas atividades de trabalho para fins de tratamento psicológico”, informou o Exército.

O órgão também afirmou que “rechaça veementemente a prática de maus-tratos ou de qualquer ato que viole direitos fundamentais dos militares em treinamento e cursos de formação”. “O Exército Brasileiro dispõe, na grade curricular do programa padrão de instrução individual básica, o ensino de direitos humanos. Durante a formação dos militares, são transmitidos conhecimentos para prevenir e coibir práticas violadoras de direitos e maus-tratos, com o objetivo de evitar riscos à integridade física e ofensas à dignidade da pessoa humana.” 

 

Veja também

Mais Lidas

1
Anastácio

Funcionários da JBS de Anastácio protestam após paralisação de frigorífico

2
Aquidauana

Casa do Trabalhador de Aquidauana oferece 12 vagas de emprego nesta quinta-feira

3
Economia

Prefeitura de Guia Lopes da Laguna, MS, abre concurso para 99 vagas

4
Geral

Jovem tenta se refrescar no Rio Paraná e morre afogado

Vídeos

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Fiações rompidas são recuperadas e motoristas ‘fora do padrão’ podem ser responsabilizados

Moradores de Anastácio flagram óleo descendo para Rio Aquidauana

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,87m
Miranda
2,28m
Paraguai
2,41m

Colunas e Blogs

Raquel Anderson

Oswaldão e o horário de Verão!

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

Viajar só faz bem...

Pedro Puttini Mendes

Aquidauana: "meio" ambiente ou um ambiente inteiro?

Ver Mais Colunas
498110620