A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
21 de Novembro de 2017
Anuncie Aqui
8504
Polítca

Pagamento de propinas envolve políticos de todos os estados

Na lista do ministro Edson Fachin, do STF, há nomes dos 26 estados e do Distrito Federal

15 MAI 2017 - 07h00min
O Estado de Minas

Não é exagero dizer que a Odebrecht corrompeu todo o Brasil. Os 26 estados e o Distrito Federal têm políticos locais na lista do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), ou receberam pedidos de investigação relacionados ao acordo de colaboração. Se antes Paraná, Rio, São Paulo, Pernambuco, a Justiça Federal e as cortes superiores no Distrito Federal conduziam inquéritos relacionados à operação, no pós-Odebrecht, 20 estados e o DF terão células da Lava-Jato em busca de esclarecer fatos narrados pelos executivos da empreiteira baiana.Ao encaminhar petições ao Supremo com base nas revelações da Odebrecht, no mês passado, a Procuradoria-Geral da República (PGR) solicitou que mais de 200 casos fossem remetidos a outras instâncias judiciais. Há menções a ex-prefeitos, prefeitos e deputados estaduais, por exemplo. Para considerar a capilaridade das delações da Odebrecht pelo país, a reportagem contabilizou não apenas os locais que receberão as solicitações de investigação, como regiões que têm políticos na mira, ainda que os inquéritos tramitem em Brasília. Esse é o caso de Roraima, por exemplo, que não receberá trechos da delação para analisar, mas elegeu o senador Romero Jucá (PMDB), que será investigado no Supremo.

Com a profusão das investigações, as colaborações da Odebrecht podem provocar efeito cascata. Cada inquérito poderá levar a novos fatos, conforme o Ministério Público avançar nas apurações. Também por causa dos desdobramentos, o esquema de corrupção relatado pela Odebrecht deve arrastar as investigações e influenciar as disputas eleitorais em 2018.

Dos 215 pedidos de investigação enviados para outros estados, o maior número (48) foi remetido à Justiça Federal no Paraná, base da Lava-Jato. A maioria trata de desvio de recursos da Petrobras e ficará sob a tutela do juiz Sérgio Moro, em Curitiba. Do material enviado para a cidade onde a Lava-Jato nasceu, ao menos cinco petições são sobre o suposto envolvimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no esquema de corrupção. Conforme os depoimentos e documentos anexados, o petista e seus parentes receberam vantagens da Odebrecht, em troca da intermediação de favores no governo federal.

Outros sete casos enviados ao Paraná tratam de ilícitos atribuídos a ex-ministros da era petista, entre eles Jaques Wagner (Casa Civil), Antonio Palocci (Casa Civil e Fazenda), preso em Curitiba, e Guido Mantega (Fazenda). Os documentos poderão embasar novos inquéritos ou reforçar o conjunto de provas de investigações já em curso. Outros que serão apurados pela equipe de procuradores coordenada por Deltan Dallagnol são o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), condenado a 15 anos de prisão por Moro, o ex-presidente do Banco do Brasil Aldemir Bendine e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

EX-MINISTROS

São Paulo, que, até a Odebrecht só havia “sediado” uma fase da Lava-Jato, a Custo Brasil, passa a ser o segundo estado com mais frentes de investigação derivadas da delação. Ao menos 29 petições foram para a Justiça Federal paulista e para o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Além de prefeitos e deputados estaduais, os alvos das apurações em solo paulista passam pelo ex-ministro de Dilma Rousseff Edinho Silva (PT), com quatro pedidos de investigação enviados, e vão até tucanos envolvidos em grandes obras, entre elas o Rodoanel e o metrô.

Para o Rio, foram enviados 22 pedidos, que miram nos políticos que se revezaram no comando do Estado nos últimos anos. Ao menos quatro desses pedidos tratam do envolvimento do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), atualmente preso, em recebimento de propinas por obras públicas. Também há casos envolvendo o ex-governador Anthony Garotinho (PR), sua mulher e sucessora no Palácio Laranjeiras, Rosinha Garotinho (PR), e o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB).

No total, 24 senadores, de 17 estados, estão na lista dos investigados perante o Supremo. Na Câmara, há 39 nomes de 14 estados. São Paulo e Bahia têm o maior número de deputados federais investigados (11 e 10, respectivamente). O Rio Grande do Sul tem três deputados eleitos no estado que são alvos de investigação.

R$ 35 BILHÕES DESVIADOS

Em pouco mais de três anos de Operação Lava-Jato, estima-se que os desvios superam os R$ 35 bilhões, dos quais, mais de R$ 8 bilhões já foram recuperados por meio de acordos com delatores e empresas. As quantias são tão altas, que, em certos casos, políticos teriam de trabalhar um milênio para alcançar os valores recebidos ilegalmente. O caso mais impressionante é o do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB), preso desde novembro de 2016, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu. O peemedebista é acusado de comandar um esquema de propinas que arrecadou mais de R$ 500 milhões no Brasil e movimentou mais de US$ 100 milhões no exterior. Ele é réu em quatro ações penais e responde a outros processos por lavagem de dinheiro, corrupção e evasão de divisas. Só nas delações de executivos da Odebrecht, Cabral é acusado de ter recebido R$ 58 milhões. No exterior, ele teria angariado mais US$ 80 milhões (R$ 250 milhões na cotação atual). Para alcançar honestamente os R$ 308 milhões recebidos, o ex-governador teria de exercer a função por 1.083 anos.

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Mulher encontra família que já procurava há 53 anos

2
Policial

Mulher com suspeita de embriaguez tenta cometer suicídio e mobiliza Equipe de Resgate e Salvamento

3
Aquidauana

Casa do Trabalhador de Aquidauana oferece 7 vagas de emprego nesta segunda-feira

4
Policial

Homem embriagado provoca acidente entre três veículos no Bairro Alto e foge do local

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,93m
Miranda
7,07m
Paraguai
1,59m

Colunas e Blogs

Robinson L Araújo

PAIS QUE EDIFICAM SEUS FILHOS

Rosildo Barcellos

O Arroubo Âmago do Cedro!

Pedro Puttini Mendes

O “modelo de lei”, o ambientalismo municipal e a mu...

Ver Mais Colunas
498110665