A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
18 de dezembro de 2018
Anuncie Aqui
8504
Tecnologia

Casal chinês quer chamar «@» ao seu bebê

17 AGO 2007 - 08h00min
diário oficial

Um casal chinês tentou dar o nome de «@» para o seu bebé, afirmando que o símbolo usado nos endereços de e-mail, pronunciado como «arroba» em português, representaria o amor que tinham pela criança.
Na China, não existe alfabeto e a linguagem é através de milhares de caracteres que representam palavras. O «@» traduzido em chinês significa «amo-o», uma vez que a pronuncia «at» tem um som parecido a «ai ta».


Não foi confirmado se as autoridades aceitaram o nome, mas o vice-director da Comissão Estatal de Linguagem, Li Yuming, afirmou que «@» é um exemplo extremo sobre o modo como se «abusa» do chinês à medida que o comércio e a Internet quebram as convenções.


Este ano, o governo anunciou a proibição de nomes que usam números árabes, línguas estrangeiras e símbolos que não pertencem aos idiomas chineses. Contudo, 60 milhões de pessoas usam caracteres tão antigos que os computadores não conseguem reconhecê-lo.


Um desses exemplos é o ex-primeiro-ministro chinês Zhu Rongii, cujo nome tem o raro caracter «rong», que dava a editores de jornais constantes dores de cabeça.

Veja também

Mais Lidas

1
Anastácio

Criança de 4 anos morre afogada em açude de chácara no Pulador em Anastácio

2
Anastácio

Menino que morreu afogado em açude é velado em Anastácio

3
Anastácio

Operador de máquina de 56 anos morre após acidente grave em Anastácio

4
Anastácio

Bombeiros resgatam pescador embriagado que caiu no rio Aquidauana em Anastácio

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Paraguai
2,52m
Miranda
5,26m
Aquidauana
2,66m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Oxala...

Manoel Afonso

MDB sobreviverá sem Puccinelli?

Alessandro Arruda

As leis e nossa incapacidade de produzi-las

Ver Mais Colunas
498110677
SERIEMA 1260