A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
18 de janeiro de 2019
Anuncie Aqui
8486
Turismo

Peixe do Pantanal: marca rica e inexplorada

27 AGO 2007 - 14h14min
Ariosto Mesquita

Até bem pouco tempo, quando se falava em peixe do Pantanal vinha logo à cabeça a pesca extrativista, descontrolada e ameaçadora de espécies na região. Hoje o quadro é outro. O extrativismo foi reduzido sensivelmente e deu espaço para o peixe de cultivo, aquele desenvolvido em pisciculturas e padronizado para o consumo do mercado interno e até externo. A velha história do "gosto ruim" também acabou. Os peixes de cultivo hoje recebem alimentação balanceada para adequar o sabor e a textura da carne aos padrões do consumidor. Enquanto isso, o peixe de rio come de tudo...ou quase de tudo.


Enquanto isso é cada vez mais cultuada no Brasil e até em outros países a palavra "Pantanal" designando uma região rica em fauna e flora, um paraíso ecológico e recentemente reconhecida pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. Evidente que com todos estes atributos, a região projete nos produtos originários dela uma força mercadológica incomum e uma áurea mítica encantadora para o mercado.


Imagine, portanto, o consumidor médio, nos supermercados e peixarias do Brasil, se deparando com um peixe (inteiro ou em cortes) com a chancela "Pantanal" como sua designação de origem? Evidente que teria uma influência fortíssima na decisão final de compra. E com um detalhe: A designação "Peixe do Pantanal" se aplica a qualquer das várias espécies nativas da região desenvolvidas em cultivo (pintado, pacu, piraputanga, etc). O mesmo, por exemplo, dificilmente se aplicaria ao boi, que não é um animal nativo da região.


No final da década passada o Governo Federal instituiu no país a classificação de produtos com selos de Indicação Geográfica (IG), mecanismo extremamente eficiente mas ainda quase totalmente desconhecido pelo agronegócio brasileiro. Um selo de IG identifica um produto originário de um país ou região que possui qualidade, reputação e característica pela sua origem geográfica. Elementar: uma IG "Peixe do Pantanal" tornaria o produto cultivado dentro das características da região como único, singular e com extremo diferencial sobre a "concorrência".


Na Europa, as indicações geográficas são comuns há várias décadas mas no Brasil apenas três produtos estão usufruindo das benesses do selo (reconhecido no mercado internacional): O "Vinho do Vale dos Vinhedos", o "Café do Cerrado Mineiro" e a "Cachaça do Brasil" (este concedido por decreto federal). No entanto, tem muita gente com visão de futuro no Brasil com pedidos de IG encaminhados junto ao INPI. Dentre alguns produtos que podem receber brevemente a IG estão a "Cachaça de Parati", "Queijo Serrano/RS", "Uva do Vale do São Francisco" e o "Queijo de Coalho do Agreste Pernambucano".


Até 2006 o INPI ainda não havia recebido qualquer pedido de IG proveniente do Mato Grosso do Sul e nem mesmo solicitação de IG para peixe no Brasil. Em Portugal, há estudo para uma IG "Peixe-Espada Preto de Sesimbra". Enquanto muitos se preocupam na proteção e valorização de seus produtos, no Mato Grosso do Sul isso pouco é levado a sério. Há no agronegócio, em geral, uma confusão entre fazer marketing e fazer oba-oba. O que se degusta de produtos sul-mato-grossenses em jantares, coquetéis e badaladas reuniões palacianas pelo Brasil e mundo não está no gibi. Ótimo! No entanto, deixam-se de lado estratégias de resultados perenes e seguros para as cadeias produtivas.


A esperança é que o I Congresso Brasileiro de Produção de Peixes Nativos de Água Doce, que acontece esta semana em Dourados/MS, possa discutir e pelo menos estudar de forma estratégica, a conceituação da marca "Peixe do Pantanal" e dar encaminhamento para que este produto seja efetivamente protegido e valorizado. Ganham os produtores, a comunidade, o estado e o Brasil.


(*) é jornalista, pós-graduado em Administração de Marketing e mestre em Produção e Gestão Agroindustrial - ariostomesquita@globo.com - (67) 9906-1859

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

“Não me mata, porque eu tenho filhos”, disse merendeira

2
Aquidauana

Capataz planejou furto de 14 cabeças de gado de fazenda em Aquidauana

3
Policial

Polícia Civil apresenta “Palhaço Sabiá” nesta quarta-feira

4
Aquidauana

Abandonado na estação há quase 50 anos, mecânico ainda não sabe o paradeiro dos pais

Vídeos

Entrevista com os produtores do Longa-Metragem sobre Sasha Siemel

Tráfego de carretas no cruzamento da Duque de Caxias causa preocupação na população.

4ª Marcha pela Vida - Aquidauana MS

Ver mais Videos

Níveis dos Rios Hoje

Paraguai
2,52m
Miranda
5,26m
Aquidauana
2,66m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Não...

Robinson L Araujo

NÃO DESISTA!

Raquel Anderson

"Num tempo da delicadeza!"

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Supermercados

Mercearia e Bar Pinguim

Estevão Alves Corrêa, 1059 Bairro Alto - 79200-000 Aquidauana/MS (67)
Automóveis

Flip Car Veículos

Rua Theodoro Rondon, 456 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-8189
Médicos

Erica A. C. de Souza - Cardiologista

Rua Manuel Antonio Paes de Barro, 844 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-8816
Ver Mais
497810585