A edição digital do jornal O Pantaneiro é restrita para assinantes.Assine
19 de setembro de 2019
Anuncie Aqui
8834-->
Turismo

Projeto pesquisa perfil do pescador artesanal do Pantanal

16 AGO 2007 - 09h30min
portal bonito

A Embrapa Pantanal está iniciando uma pesquisa na área de sociologia que vai traçar o perfil do pescador artesanal profissional que vive na Bacia do Alto Paraguai, que engloba o Pantanal. O objetivo é identificar esse público (estimado em 2,5 mil pescadores), auxiliar sua organização e valorizar as comunidades tradicionais e sua cultura.


Três pesquisadores da Embrapa Pantanal (unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA) estão envolvidos com o projeto "Levantamento socioeconômico da pesca profissional artesanal do Pantanal sul-mato-grossense para a construção de alternativas para o setor": Cristhiane Amâncio, Agostinho Catella e Emiko Resende.


Líder da pesquisa, Cristhiane disse que se interessou pelo tema quando, em 2006, começou a visitar colônias de pescadores e percebeu a falta de informações sobre o setor. Bióloga com mestrado e doutorado em ciências sociais, a pesquisadora também notou a falta de diálogo dessas comunidades com cientistas.


O projeto vai durar três anos e tem quatro planos de ação: a gestão da pesquisa e dos recursos, o diagnóstico, a co-relação de dados quantitativos existentes no sistema de controle de pesca| com os dados qualitativos que serão levantados e a introdução de novos mecanismos gerenciais nos grupos de pescadores. A idéia central é melhorar, por meio da adoção de algumas técnicas gerenciais, a eficiência e eficácia dos negócios formais e informais ligados à cadeia da pesca a qual as famílias pescadoras estão inseridas.


"Uma inovação apontada pelos gestores do macroprograma que aprovaram o projeto na Embrapa em Brasília é que todas as ações serão simultâneas", disse Cristhiane.


Isso significa que, à medida que o diagnóstico for elaborado, ações para a organização do setor já poderão ser indicadas, sempre de maneira participativa. Já foi feito um pré-diagnóstico com determinados grupos e alguns problemas são elementares, segundo a pesquisadora.


Em Corumbá os pesquisadores já mantiveram contato com pescadores da Barra do São Lourenço, do Paraguai-Mirim e do Amolar. Faltam outras comunidades, além de grupos de Ladário, Miranda, Porto Murtinho, Aquidauana e Coxim.


Segundo a bióloga, a pesquisa será desenvolvida por meio de visitas in loco e reuniões nas colônias, pontos de acampamentos e comunidades ribeirinhas.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Caminhão bate em pedra e deixa mulher presa nas ferragens em Aquidauana

2
Policial

Vizinho é preso após invadir casa, agredir e tentar estuprar jovem que estava sozinha

3
Aquidauana

Inmet aponta para previsão de chuva nesta quarta-feira em Aquidauana

4
Aquidauana

Ladrões invadem fazenda em Aquidauana e furtam bombas e tambores

Vídeos

Celebração de casamento é marcada por cerimônia tradicional de cultura africana

Mulheres tentam entrar em presídio de Dois Irmãos do Buriti com celulares dentro de TVs

Com dedicação e disciplina, Marcos Henrique conquista 1º contrato profissional

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min22 max40

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,23m
Miranda
1,82m
Paraguai
2,76m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Hoje...

Giovani José da Silva

HISTÓRIAS DE ADMIRAR: O QUE TEMOS A COMEMORAR EM MAIS ...

José Pedro Frazão

A última batalha do Analista de Taunay

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Pesqueiros

Rancho do Pedrialli - Piraputanga

, - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3257-1007 www.ranchopedrialli.com.br
Telefones Úteis

Policia Militar - 7º BPM

João Lopes Assunção, s/nº Bairro Alto - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-2212/3241-
Ponto de Táxi

Ponto de Táxi Nº 6

Praça Afonso Pena, s/n - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 2774
Ver Mais
508110637