X
Agronegócio

Embrapa lança novas cultivares de soja e sorgo

As cultivares, soja (BRS 7881 IPRO) e sorgo (BRS 661) foram desenvolvidas pelos programas de melhoramento da empresa

Divulgação

Duas novas cultivares, uma de soja e outra de sorgo, foram lançada pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), na última quinta-feira, 23, durante a Agrobrasília. As cultivares, soja (BRS 7881 IPRO) e sorgo (BRS 661) foram desenvolvidas pelos programas de melhoramento da empresa. A nova cultivar possui estabilidade de produção nas seguintes regiões: Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais e Bahia.

O pesquisador André Ferreira, da Embrapa Cerrados, apresentou a BRS 7881 IPRO. Trata-se de um material transgênico que se destaca por seu elevado potencial de rendimento de grãos e tolerância às principais doenças da cultura da soja. “Para além da produtividade, temos aqui um material de alta adaptabilidade e excelente sanidade”, destacou. Ele apresentou alguns resultados da cultivar em condições de campo, que alcançou produtividade de mais de 90 sacas por hectares.

É indicada tanto para o cultivo irrigado, quanto sequeiro e é exigente em áreas de alta fertilidade. Possui ciclo que varia entre 116 e 127 dias. “É um material que está dentro desse grande grupo de cultivares mais plantadas na região e que vai se adaptar bem desde Minas Gerais até Mato Grosso, viabilizando, em alguns desses locais, a segunda safra de milho”, explicou.

A nova cultivar, segundo o Campo Grande News, é tolerante ao nematoide de galhas, resistente ao nematoide de cisto da soja, além de possuir resistência ao cancro da haste, mancha olho de rã e pústula bacteriana. O pesquisador apresentou no lançamento as principais características do novo material, como a resistência ao acamamento e crescimento indeterminado, além das recomendações de plantio.

Sorgo BRS 661

O sorgo forrageiro BRS 661 foi desenvolvido para atender à demanda por cultivares com potencial produtivo superior, especialmente para sistemas de produção de silagem com baixo custo. É uma alternativa para pecuaristas e agricultores, proporcionando alta produtividade de massa verde (superior a 70 toneladas por hectare) com excelente qualidade nutricional. Atinge o ponto de colheita em torno de 110 a 130 dias após o plantio, dependendo da região, e possui alta capacidade de rebrota.

A cultivar é recomendada para a safra de verão e segunda safra. A adaptabilidade a diversos sistemas de produção de forragem torna a cultivar uma escolha versátil e estratégica para o Sudeste, o Centro-Oeste e o Nordeste, regiões para onde ela é recomendada.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Hospital Regional de MS lança 'Dia D' de cadastro de doadores de medula óssea

Servidores, acadêmicos, estagiários, residentes, funcionários terceirizados e instituições parceiras estão sendo convidados a participar dessa importante iniciativa que pode salvar vidas

Pantanal

Combate aos incêndios no Pantanal tem reforço de bombeiros do PR e GO

Operação Pantanal 2024 completa 114 dias nesta quarta-feira

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo