X
Brasil

PF faz operação contra importação irregular de cabelo

Mandados são cumpridos no Paraná e em São Paulo

Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF), em conjunto com a Receita Federal, deflagrou https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1392769&o=nodehttps://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1392769&o=nodehoje https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1392769&o=nodehttps://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1392769&o=node(10) operação para desarticular grupo criminoso especializado na importação irregular de cabelos para revenda em território nacional. A operação cumpre sete mandados de busca e apreensão, expedidos pela 14ª Vara Federal de Curitiba, nas cidades de Foz do Iguaçu e Curitiba, no Paraná; São Paulo e Araçatuba, em São Paulo.

Parte do grupo é https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1392769&o=nodehttps://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1392769&o=nodecomposto por pessoas de origem indiana. Os investigados poderão responder pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e operação irregular de instituição financeira.

Batizada de Baalon, o nome da operação faz referência a uma das traduções da palavra cabelo https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1392769&o=nodehttps://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1392769&o=nodepara o idioma híndi. O grupo agia por meio do subfaturamento do valor de importação da mercadoria. A polícia disse que, após a venda do cabelo no Brasil, o pagamento dos fornecedores estrangeiros era feito pela conversão do real em dólar.

Essa conversão, em geral, ocorria https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1392769&o=nodehttps://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1392769&o=nodepor meio da remessa dos reais ao Paraguai, ou por meio de contato com algum operador financeiro, que “disponibilizava o contravalor por meio de https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1392769&o=nodehttps://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1392769&o=nodesistema internacional de compensação paralelo, sem registro nos órgãos oficiais, conhecido por dólar-cabo".

“As https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1392769&o=nodehttps://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1392769&o=nodemercadorias, quando não eram subfaturadas por meio de processos de importação realizados por empresas brasileiras, eram irregularmente internalizadas por meio da fronteira com o Paraguai. Vale ressaltar que a introdução da mercadoria se dava pela https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1392769&o=nodehttps://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1392769&o=nodesupressão parcial ou total de tributos que incidiam na operação de importação - crime de descaminho” -, acrescentou https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1392769&o=nodehttps://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1392769&o=nodea PF.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidades

Prefeitura de Aquidauana ofertou curso de crochê em barbante

As alunas aprenderam na teoria e prática, as técnicas dos pontos básicos do crochê

Esportes

Aquidauana sediará Jogos Universitários

Cidade receberá acadêmicos de vários municípios

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo