X
Imposto de Renda

Doações na declaração do IR atingem R$ 7,52 milhões em MS

Valor destinado aos fundos da Criança e do Idoso em 2022 teve aumento de 34,8%

As doações foram feitas diretamente na declaração do IR, cujo prazo de entrega terminou em 30 de abril / Marcello Casal JR/Agência Brasil

O volume de recursos doados pelos contribuintes de Mato Grosso do Sul ao Fundo da Criança e do Adolescente e ao Fundo do Idoso, por meio da Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2022, atingiu R$ 7,52 milhões.
São R$ 2 milhões a mais para as entidades vinculadas a esses fundos. Isso representa aumento de 34,8% na comparação com o ano anterior.

As doações foram feitas diretamente na declaração do IR, cujo prazo de entrega terminou em 30 de abril.

Dados da Receita Federal mostram aumento de 32,4% no número de doadores. Passou de 2.515 em 2021 para 3.332 em 2022.

No Brasil, houve crescimento de 27% no valor doado, atingindo R$ 221,7 milhões ante R$ 173,8 milhões em 2021. A Receita também registrou aumento de 21,2% na quantidade de contribuintes doadores, passando de 140.545 para 170.359.

Dos R$ 7,52 milhões doados em Mato Grosso do Sul, R$ 5,25 milhões foram destinados ao Fundo da Criança e do Adolescente, ou 70% do montante. Já o valor doado ao Fundo do Idoso passou de R$ 1,26 milhão em 2021 para R$ 2,27 milhões este ano, crescimento expressivo de 80%.

Os dados mostram ainda que, dos 79 municípios sul-mato-grossenses, 65 receberam algum valor. Campo Grande foi o mais beneficiado, com R$ 1,78 milhão, distribuídos por 1.055 doadores. Dourados aparece em segundo com R$ 1,02 milhão para 878 doadores, seguido de São Gabriel do Oeste, onde as doações alcançaram R$ 718 mil para 143 doadores.

Caarapó e Itaporã, embora com base de declarantes inferior a dezenas de outras cidades, como Corumbá, Três Lagoas, Ponta Porã, Nova Andradina e Sidrolândia, por exemplo, aparecem em quarto e quinto lugares em doações recebidas. Às entidades ali registradas foram destinados R$ 634 mil e R$ 529 mil, respectivamente.

Maior divulgação

O delegado da Receita Federal em Campo Grande, Clovis Ribeiro Cintra Neto, atribui o aumento no valor e no número de doadores, por meio da declaração do IR, à divulgação mais bem articulada nos meios de comunicação do Estado. Além das próprias unidades da Receita, várias entidades de assistência social e de classe fizeram campanha para destacar a importância do ato.

“A imprensa da Capital e do interior teve papel importante na divulgação da campanha, dando-nos espaço para destacar que o valor doado não seria tirado do bolso do contribuinte. As entidades abraçaram a ideia e a tendência é que esse gesto de cidadania cresça mais ainda nos próximos anos”, afirma Cintra Neto.

De acordo com as regras, as doações são limitadas a 6% do imposto apurado (a receber ou a pagar), 3% para cada fundo. O valor destinado a um desses fundos será compensado pela Receita Federal no momento em que o contribuinte fizer o pagamento do imposto ou quando receber a restituição. “O doador não tira nada do bolso. O que ele destinar, até o limite da lei, será compensado”, reforça o delegado.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Obras

Convênios: municípios recebem mais R$ 22,6 milhões para infraestrutura urbana

Os repasses estão sendo feitos por meio de convênios com a Agesul e Seilog

Economia

Mega-sena acumula e sorteia R$ 37 milhões na próxima terça-feira

Dezenas sorteados no sábado foram 27 - 45 - 49 - 53 0- 55 - 59

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo