X
Imposto de Renda

Doações na declaração do IR atingem R$ 7,52 milhões em MS

Valor destinado aos fundos da Criança e do Idoso em 2022 teve aumento de 34,8%

As doações foram feitas diretamente na declaração do IR, cujo prazo de entrega terminou em 30 de abril / Marcello Casal JR/Agência Brasil

O volume de recursos doados pelos contribuintes de Mato Grosso do Sul ao Fundo da Criança e do Adolescente e ao Fundo do Idoso, por meio da Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2022, atingiu R$ 7,52 milhões.
São R$ 2 milhões a mais para as entidades vinculadas a esses fundos. Isso representa aumento de 34,8% na comparação com o ano anterior.

As doações foram feitas diretamente na declaração do IR, cujo prazo de entrega terminou em 30 de abril.

Dados da Receita Federal mostram aumento de 32,4% no número de doadores. Passou de 2.515 em 2021 para 3.332 em 2022.

No Brasil, houve crescimento de 27% no valor doado, atingindo R$ 221,7 milhões ante R$ 173,8 milhões em 2021. A Receita também registrou aumento de 21,2% na quantidade de contribuintes doadores, passando de 140.545 para 170.359.

Dos R$ 7,52 milhões doados em Mato Grosso do Sul, R$ 5,25 milhões foram destinados ao Fundo da Criança e do Adolescente, ou 70% do montante. Já o valor doado ao Fundo do Idoso passou de R$ 1,26 milhão em 2021 para R$ 2,27 milhões este ano, crescimento expressivo de 80%.

Os dados mostram ainda que, dos 79 municípios sul-mato-grossenses, 65 receberam algum valor. Campo Grande foi o mais beneficiado, com R$ 1,78 milhão, distribuídos por 1.055 doadores. Dourados aparece em segundo com R$ 1,02 milhão para 878 doadores, seguido de São Gabriel do Oeste, onde as doações alcançaram R$ 718 mil para 143 doadores.

Caarapó e Itaporã, embora com base de declarantes inferior a dezenas de outras cidades, como Corumbá, Três Lagoas, Ponta Porã, Nova Andradina e Sidrolândia, por exemplo, aparecem em quarto e quinto lugares em doações recebidas. Às entidades ali registradas foram destinados R$ 634 mil e R$ 529 mil, respectivamente.

Maior divulgação

O delegado da Receita Federal em Campo Grande, Clovis Ribeiro Cintra Neto, atribui o aumento no valor e no número de doadores, por meio da declaração do IR, à divulgação mais bem articulada nos meios de comunicação do Estado. Além das próprias unidades da Receita, várias entidades de assistência social e de classe fizeram campanha para destacar a importância do ato.

“A imprensa da Capital e do interior teve papel importante na divulgação da campanha, dando-nos espaço para destacar que o valor doado não seria tirado do bolso do contribuinte. As entidades abraçaram a ideia e a tendência é que esse gesto de cidadania cresça mais ainda nos próximos anos”, afirma Cintra Neto.

De acordo com as regras, as doações são limitadas a 6% do imposto apurado (a receber ou a pagar), 3% para cada fundo. O valor destinado a um desses fundos será compensado pela Receita Federal no momento em que o contribuinte fizer o pagamento do imposto ou quando receber a restituição. “O doador não tira nada do bolso. O que ele destinar, até o limite da lei, será compensado”, reforça o delegado.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Serviços

Agendamento online para passaportes está indisponível temporariamente

Polícia Federal detecta tentativa de invasão do ambiente de rede

Educação

Inep apresenta novos indicadores de financiamento

Valor Aluno Ano Resultado é um complemento da União às redes estaduais e municipais em vigor desde 2023

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo