X
Serviço

IBGE: MS é destaque no avanço em saneamento básico

Mato Grosso do Sul é o 2º estado que mais avançou em número de casas com acesso à rede coletora de esgoto ou com fossa séptica

Estação de Tratamento de Esgoto de Douradina / Divulgação

Dados divulgados nesta sexta-feira, 23, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) trazem um cenário detalhado do saneamento básico em todo o País. Mato Grosso do Sul é o 2º estado que mais avançou em número de casas com acesso à rede coletora de esgoto ou com fossa séptica. O número saltou de 37,46% em 2010 para 72,39% em 2022. Aumento de 93,25%, ficando atrás apenas do Amapá que subiu de 21% para 46%, com crescimento de 117%.

Com uma população de 2,7 milhões de habitantes, o Estado se destaca em fornecer água tratada para a população e pelo avanço significativo no sistema de coleta e tratamento do esgoto doméstico.

O objetivo do Governo do Estado, por meio da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), é antecipar a meta estabelecida pelo novo marco legal do saneamento que prevê a universalização do sistema até 2033.

Entre as cidades com a área de cobertura da rede de esgoto avançada estão Alcinópolis (99%), Santa Rita do Pardo (99%), Tacuru (99%), Três Lagoas (99%), Paranaíba (98%), Japorã (96%), Bonito (96%), Ponta Porã (94%), Porto Murtinho (92%), Dourados (85%), Chapadão do Sul (84), Ribas do Rio Pardo (83) e Jateí (83%).

Para o diretor-presidente da Sanesul, Renato Marcílio, o salto na evolução do tratamento de esgoto nos 68 municípios sob a sua responsabilidade mostra o compromisso da empresa com a melhoria constante da qualidade de vida dos cidadãos, sobretudo, com a preservação do meio ambiente.

Somente em 2023, os recursos destinados à área de saneamento, principalmente nas obras de abastecimento de água e esgotamento sanitário, somaram R$ 188,3 milhões até outubro.

Os investimentos em saneamento básico devem alcançar quase meio bilhão de reais até 2026. Estão projetados no plano plurianual da empresa R$ 456,6 milhões.

Rumo à universalização

A universalização da cobertura de esgoto em menos de uma década em Mato Grosso do Sul será possível graças a uma PPP (Parceria Público-Privada) com a empresa Agea, beneficiando 1,7 milhão de habitantes, sem aumento da tarifa. Por meio da PPP, está sendo realizada a modernização dos sistemas de esgoto existentes, aumento dos níveis de sustentabilidade ambiental, prestação de serviços de esgoto mais eficientes, melhor qualidade de vida e redução de gastos com saúde devido a melhoria do sistema de esgotamento.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 56 milhões

O sorteio será realizado às 20h, no horário de Brasília

Trânsito

Carro capota após bater em viatura da PC em Bonito

Motorista teria furado preferencial

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo