A Arte dos Vitrais na Matriz de Aquidauana

02/11/2015 23:00:00


Na Idade Média floresceu, nas grandes catedrais francesas, a arquitetura gótica (séculos XII ? XIII ? XIV). Nesse estilo apareceram, substituindo a pintura mural, os vitrais. Eram compostos por figuras em múltiplos vidros coloridos. Tinham a função de ilustrar cenas bíblicas e a vida dos santos aos fiéis. O fato é que essa arte, dividindo a luz solar em fachos coloridos, contribuiu para um efeito emocional no crente, criando, no ambiente consagrado, a impressão de mistério divino.
 
A mais famosa, pelo acervo dos seus vitrais, é a catedral de Chartres, do século XII, na França. È a única das grandes catedrais que conserva seus vitrais originais. Uma de suas rosáceas, vitral circular, é monumental com um diâmetro de 13,50 metros.
 
Os vitrais são constituídos por uma armação de ferro dividindo os painéis de vidro. Cada painel é formado por inúmeros vidros coloridos, unidos por um filete de chumbo, formando uma composição com figuras pintadas à mão e depois submetidas à alta temperatura para sua impregnação gráfica.
 
Essa era a técnica utilizada na Idade Média. A mesma usada na confecção dos vitrais da Matriz de Aquidauana, Nossa Senhora Imaculada Conceição. 
 
A igreja, quase centenária, construída em 1930, tornou-se um dos símbolos da localidade. Sua arquitetura primorosa é de uma beleza ímpar. Podemos afirmar que seus vitrais também constituem uma grande riqueza para o patrimônio da cidade. São 43 vitrais coloridos, na maior parte ilustrando santos populares da igreja. Com uma área aproximada de 148,48 m2.
 
Durante sua construção, os vitrais foram doados pelas famílias locais. Essa doação aparecia escrita na parte inferior de cada vitral, numa parte móvel, chamada basculante. Infelizmente, muitas dessas inscrições se perderam com o destruir dos vidros.
 
A função imediata do vitral é tornar o ambiente luminoso e acolhedor. Entretanto, é uma arte fragilizada pelos materiais utilizados. Com o passar dos anos está sujeita à deterioração, fazendo-se necessária uma restauração. O chumbo, pelo efeito da dilatação térmica, se deforma, causando o desprendimento dos vidros coloridos. No caso de Aquidauana, os vitrais também sofreram danos por não haver até então uma tela metálica de proteção externa. Algumas pedras foram atiradas, através dos anos, contra os vitrais por transeuntes tresloucados.
 
O pároco da igreja, Padre Tiago, num gesto de ousadia, devido ao alto custo da restauração, contratou uma firma especializada e idealizou uma campanha popular para obter fundos. Lançou mil carnês para que, durante um ano, as pessoas se comprometessem a pagar R$20,00 por mês. Batizou a campanha: ?1000 maneiras de dizer: eu te amo?. A campanha está no início, mas o povo está compreendendo a responsabilidade de preservar o patrimônio. Já havia uma reserva monetária para esse fim, organizada pelo ex-pároco, fruto da doação de gado para leilão, feita pelos fazendeiros da região, mas o valor se mostrava insuficiente. E a preservação se tornava cada vez mais urgente.
 
Os vitrais serão restaurados, gradativamente, na sede da empresa, em Ribeirão Preto, Estado de São Paulo. Atualmente, 6 vitrais, os mais danificados, já foram levados para a restauração. O retorno está previsto para fevereiro de 2016. A finalização do serviço se dará em 2017. Sendo assim, esse patrimônio artístico-cultural de Aquidauana, e (por que não dizer?) de todo o Estado de Mato Grosso do Sul, será recuperado. As futuras gerações poderão conhecer os maravilhosos vitrais da Matriz de Aquidauana. Os visitantes poderão também ter sua atenção atraída para essas belezas da arte religiosa, em plena região ecológica do pantanal.
 
 
Paulo Corrêa de Oliveira

dothCom Consultoria Digital - Outros