O...

11/08/2020 04:31:00


O...

Mundo da era... Tecnológica!
Na realidade... Excludente!
Pois, deixa muita gente...
Numa situação... Caótica!
Sem querer lamentar... Retórica!
O homem simples do... Campo!
Que no tradicional... “Trampo!”
Realmente fica... Perdido!
Sempre no canto, esquecido...
Desconfia de armação... “Grampo!”


Como torna-los... Visíveis!
Para sentirem-se... Incluídos!
Bem seguros... Protegidos!
Destes recursos... Acessíveis!
Criar regras... Flexíveis!
A estes seres... Inteligentes!
Verdadeiros, sábios... Competentes!
Portanto, merece... Respeito!
Não, discriminação, preconceitos...
Tratamento, isonômico... “Diferentes!”


Hoje... Melhor idade!
Da sociedade... Referência!
Dignidade, seu jeito... Paciência!
Com cautela... Sagacidade!
Sob a luz da verdade...
Como genuínos... “Vinhos!”
Merecem amor... Carinho!
A eles lícito... Tratamento!
Em tempos de isolamento...
Jamais deixemos... sozinhos!


Diante dessa... Pandemia!
Grupo de risco... “Alvo!”
Mantenha-os seguros... Salvos!
Belos tempos... “Boemia!”
Hoje, cercados... Endemias!
O povo todo... “Arredio!”
Comportamento, estranho... “Frio!”
Na realidade... Indiferente!
Gente tem medo, de gente...
Eta, mundo deserto... “Sombrio!”

Poema: Valdemir Gomes dos Santos 11/08/2020.

 

 

 


Valdemir Gomes - Valdemir Gomes