O...

13/01/2021 08:49:00


O...

Povo está otimista...
Com a chegada... Vacina!
Pois, gemer, a dor... “Ensina!”
Felizmente, aprovação... Vista!
Toda população faça parte... “Lista!”
Ninguém seja... “Excluído!”
Claro, não faz sentido...
Que alguém fique... “Fora!”
Afinal, passou da hora...
De ter o problema... “Resolvido!”


Chega de medidas... “Paliativas!”
Claro, proibição, não... “Caminho!”
Gaiola, prisão, nem passarinho...
Estado baixando regras... “Priva!”
Cidadão, não barco... “Deriva!”
Quem desobedecer... “Punido!”
Porém, pouco tem... “Resolvido!”
Sistema, saúde, falta... “Estrutura!”
Vacilou, final, sepultura...
Contribuinte, à mercê... “Constrangido!”


Segue o jogo... Empurra!
Presenciamos, desculpas... “Esfarrapadas!”
A cada dia, nova... “Presepada!”
Assim coisa, ferve... “Esturra!”
Tem gestor, lavando... “Burra!”
Compras emergenciais... “Licitação!”
Nos recursos, metem a mão...
Uma vergonhosa... “Realidade!”
Digamos, excesso, promiscuidade...
Sempre, haverá... “Espertalhão!”


Fique de olho... “Fiscalize!”
Dos eleitos, cobre... “Promessa!”
Saúde de qualidade... “Interessa!”
Não permita, conluio... “Deslize!”
Palavra em voga... “Crise!”
Retoma a velha... “Mania!”
Socorro, segue... “Ambulanciaterapia!”
Paciente, morrendo... “Caminho!”
No popular, velho jeitinho...
Só por Cristo, Virgem... “Maria!”

Poema: Valdemir Gomes dos Santos 13/01/2021

 

 


Valdemir Gomes - Valdemir Gomes