Muito prazer....

02/11/2021 07:52:00


Oi, filha!
Eu sou peão do trecho! trabalhei, a vida toda, numa madeireira, até que uma tora muito grande mesmo, sabe?! De um tamanho enorme, caiu em cima de mim e eu que sempre fui franzino, nem sei como estou aqui.
Só sei que minha irmã me trouxe pra cá e agora eu estou fazendo esse negócio aqui, que tem um nome estranho:
"quimo", como que é mesmo?
Quimioterapia!
É isso, filha, esse negócio mesmo, que eu não sei bem o que é, só sei que tô aqui...
Mas eu não vou mais poder voltar pra lá, pra dentro do mato, onde é o meu lugar, só que a minha irmã tem uma chacrinha, ela disse que eu posso morar lá com ela, agora.
Então, tô com uns planos, sabe?! Vou fazer um criame de galinha, daí, vou trazer um monte de ovos pra você fazer bolo, tá?! Você aceita, por favor?!
Já bolei a cerquinha, o lugar das galinhas, tá tudo aqui, na minha cabeça...
A doçura, inspiradora, dos relatos, extraídos na anamnese literária, transformou-se em poesia para acolher e afagar o coração do Sr João (nome fictício)
No dia marcado para mais uma sessão de quimioterapia, a caixinha com o remédio da alma estava pronta, com muita emoção e cuidado.
Seo João não compareceu...
Aquilo doeu fundo.
Outra semana, mais uma sessão marcada, nada do Seo João...
A caixinha de remédio, com a poesia, no bolso do jaleco, a sensação de vazio, a desconfiança da ausência não justificada...
Na quarta vez, o enfermeiro, me viu, frustrada, e confirmou a morte do Seo João...
Foi assim que não foi possível entregar a primeira Literatura de uma lindeza humana que morreu...em 2017.
Em nome de todas as pessoas que nos deixaram, em nome de todo carinho, amor e admiração, eis a poesia do Sr João:

Peão do trecho

A vida lhe dará o melhor desfecho

Você carregou todo apetrecho

Na lida, sempre torou o trecho    
          
A vida lhe pede coragem nesse contexto

Trinta anos de trabalho como madeireiro

Aprendeu a ter destreza, ser ligeiro          

No quesito valor humano você é o primeiro

Valente, trabalhador, guerreiro    
         
Agora prepara o galinheiro

No seu criame de galinha

Tem tela, madeira e cerquinha

Tudo sai dessa sua cabecinha

Teremos muito ovos, agorinha!

Que seus esforços lhe tragam só alegrias

Prazer na sua aposentadoria

Parabéns pela sua ousadia

Que a vida lhe encante com a nossa poesia!

Hospital CASEEMS

Projeto A Literatura Cura

E, assim, com a imensidão da beleza que é a simplicidade, o Seo João, permanece no meu, no nosso coração.
Raquel Anderson


Raquel Anderson - Raquel Anderson