Para...

25/11/2021 04:32:00


Para...

Manter o povo informado...
Do conhecimento, visto... Camisa!
O verdadeiro amigo... Avisa!
Realmente, entramos em barco furado...
Entraram no oba, oba, escolheram... “Errado!”
Entregando o cajado a um bravateiro...
Falso moralista, desequilibrado... Encrenqueiro!
Para governar, não tem... Projeto!
Gerencia, via fake news, decretos...
O Brasil perdeu o rumo... “Roteiro!”


Infelizmente, triste realidade...
Estamos, realmente, descendo... “Ladeira!”
Pobre, mistura, ovo frito... “Frigideira”
Ao comandante, faltando... Capacidade!
Seu repertório, mentiras... Bestialidades!
Parece jogador de truco, levando... “Grito!”
Sua especialidade, rachadinhas... “Cabrito!”
Assim, implementa, política... “Horrores!”
Palavrões, reuniões de bastidores...
Para alguns, desinformados... “Mito!”


Muitos questionam... Escritos!
Respeito de todos... Opinião!
Porém, concordando ou não...
Mantenho a balada... “Rito!”
Aos trabalhadores, sobra pau... “Pirulito!
Afinal, reformas, surrupiaram... “Direitos!”
Importante, analisar, rever... “Conceitos!” 
À luta, por um mundo... Diferente!
Extirpando, todo joio da semente...
Claro, nove dedos, dará... “Jeito!”


Vive passeando a nossas custas...
Levando na bagagem, até... “Papagaio!”
Encarando os opositores, piada... “Soslaio!”
A sua caravana, deveras... “Robusta!”
Gastos com hospedagens... “Assustam!”
Sem limites, no cartão... “Corporativo!”
Mas, sigilo, absoluto... “Arquivo!”
Inábil para conduzir... “Malhete!”
Esquece, sujeira, embaixo, tapete...
Gastos, orçamentos secretos... “Aditivos!”

Poema: Valdemir Gomes dos Santos 25/11/2021


Valdemir Gomes - Valdemir Gomes